BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

QUATRO ESTAÇÕES: Sandro Bacelar conta as histórias por onde passou em novo EP

O EP “Quatro Estações” traz consigo traços por onde Sandro passou levando o nome de Porto Velho

Rondoniaovivo

04 de Novembro de 2020 às 11:29

Atualizada em : 05 de Novembro de 2020 às 09:01

Foto: Divulgação

Sandro Bacelar iniciou carreira artística há 37 anos, levando sua arte genuína como forma de valorizar o meio artístico de Porto Velho, em uma linguagem que ultrapassa a barreira do tradicional, já levou a capital de Rondônia para lugares do mundo ondes cantores da Amazônia jamais haviam chegado. 
 
O EP “Quatro Estações”  com quatro canções inéditas, de autoria do artista com parceiros como o Pirarublue e Binho (Rondônia), traz consigo traços das estações características dos lugares por onde Sandro passou levando o nome de Porto Velho. 
 
Cada música conta um pouco da Primavera, Verão, Outono e Inverno, embaladas por ritmos da música popular brasileira.
 
O primeiro single ‘Primaverando’, é uma composição com origem em Campos do Jordão (Sudeste do Brasil) e fala das flores que despertam a vida. O diferencial nessa canção com ritmo de balada são as incidentais de “As quatro estações”, de Vivaldi, e “De manhã”, do Pirarublue.
 
‘Inverno Inverso’ e ‘Verão’ são composições do Binho, música da Amazônia que apresenta a peculiaridade do Verão e Inverno Amazônico, que são predominantemente chuvosos. A primeira um baião e a segunda um pop rock que forma o diferencial do trabalho do artista.
 
Já ‘Arco D’outono’ foi composta no litoral norte da Itália (Europa), durante a estação que inspirou o nome da música, e canta em ritmo de balada indagações a respeito do “Arco D’augusto”. A música tem um quê de espiritualidade com questionamento sobre quem construiu o monumento, hoje com 2.038 anos.
 
O EP ainda é composto por uma programação visual que poetisa a capa, composta por quatro telas da artista plástica abstracionista Ana Gaion, que usa em suas composições nos painéis de metal, ácido e tinta que originam uma reação química com cores.
 
Ficha técnica:
 
Gravado no Isla Music
 
Produção musical, guitarra, contrabaixo, violões e vocais: Roge Isla
 
Flauta, trombone de vara e trompete: Daniel Costa
 
Acordeão e Teclado: Chico Chagas
 
Violão e Voz: Sandro Bacelar
 
Vocais: Rafael Marques e Yam Santos
 
Masterização: Ricardo Cecchi (Estúdio Masterização Online)
 
Produção artística: Tangará Música
 
Design: Marcus Vinicius Matos
 
Assessoria de imprensa: Gaia Bentes
 
EP distribuído pela Tratore, disponível em todas as plataformas digitais.
 
Contato: (12) 98215-4446 / tangaramusica@gmail.com
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS