LENTIDÃO PREOCUPA: Rondônia não vacinou nem 3% da população e vive drama terrível na saúde

O último lote de vacinas recebido pelo Estado era de apenas 17 mil doses

LENTIDÃO PREOCUPA: Rondônia não vacinou nem 3% da população e vive drama terrível na saúde

Foto: Divulgação | Transferência de pacientes para outros estado

O Estado de Rondônia recebeu desde o início do ano até a última quarta-feira (3), 107 mil doses de vacinas. A última remessa foi um lote de 17 mil imunizantes. De lá pra cá, a vacinação foi avançando de forma lenta, conseguindo imunizar 47.994 rondonienses. 
 
Os primeiros profissionais imunizados foram os da saúde que atuam no combate ao coronavírus. Depois, foram os idosos acamados, acima de 60 anos, que residem em casa de repouso; em seguida, foram os idosos acima de 90 anos; seguidos pelos idosos entre 80 e 89 anos; indígenas e profissionais que atuam com esse grupo; finalmente, as pessoas com necessidades especiais, com idade superior a 18 anos.
 
Apesar do número de vacinados já chamar a atenção, ele não chega nem próximo de 3% da população rondoniense, que hoje soma 1.796.000, segundo dados do Instituto Brasileiros de Geografia e Estatística (IBGE).
 
Um novo Decreto publicado pelo Governo do Estado, começou a valer nesta quinta-feira (4). O documento traz medidas de restrições mais severas, colocando todas as cidades na Fase 1 do plano de contingência do coronavírus, permitindo apenas serviços essenciais, como supermercados, padarias, borracharias, postos de combustíveis, açougues e outros. 
 
Nas últimas semanas, o secretário Estadual de Saúde, Fernando Máximo, afirmou que o Estado estava com todos os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), ocupados.
 
De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), 95 pessoas aguardam na fila por vaga na UTI.
 
Vale destacar que para cada pessoa são necessárias duas doses. 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS