VIOLÊNCIA POLICIAL: Advogados em Rondônia repudiam agressão contra colega em Goiás

O pré-candidato a presidência da OAB/RO, Márcio Nogueira, se manifestou sobre o caso

VIOLÊNCIA POLICIAL: Advogados em Rondônia repudiam agressão contra colega em Goiás

Foto: Divulgação

A agressão do advogado Orcelio Ferreira Silvério Junior, de 32 anos de idade, durante uma abordagem policial na tarde desta última quarta-feira (21) na cidade de Goiânia (GO), mobilizou advogados de todo o país em repúdio à violência policial. 
 
Em Rondônia, o pré-candidato a presidência da OAB no estado, Márcio Melo Nogueira, se manifestou sobre o caso e afirmou que toda a classe no Brasil não irá descansar até que os culpados sejam devidamente punidos. 
 
“Inadmissível acompanhar cenas como as do vídeo. Como ex-presidente da Comissão de Defesa de Prerrogativas da OAB/RO, me sinto na obrigação de acolher o colega Orcelio Ferreira. Não descansaremos enquanto não houver uma apuração rigorosa do acontecido. Tenho certeza que a Ordem trabalhará incansavelmente para a solução deste caso absurdo”, disse Márcio Melo Nogueira. 
 
Para o advogado Manoel Veríssimo, ex-presidente da CAARO, as imagens expõe uma ação de tortura promovida pelos policiais contra o advogado. 
 
“Ha nítida agressão física desmedida que configura tortura contra um profissional da advocacia em pleno exercício o que viola não só as prerrogativas profissionais como a integridade física do cidadão”, disse Manoel Veríssimo.
 
OAB Nacional
 
O presidente da OAB Nacional, Felipe Santa Cruz, se mostrou indignado em relação às imagens que circularam nas redes sociais em todo o país quee mostram claramente o advogado sendo agredido após ter sido rendido e algemado. 
 
O advogado teria tentado intervir em uma abordagem dos policiais à um morador de rua. 
 
"Imagens enojantes de agressão (covardia) policial contra advogado de Goiás. Milicianos que inclusive sabiam que estavam sendo filmados. Imagine o que fazem sem testemunhas! Iremos acompanhar o caso e confiamos em punição exemplar. Solidariedade aos colegas goianos”, disse Felipe Santa Cruz. 
 
O caso segue sendo investigado pelas autoridades e os policiais envolvidos foram afastados. 
 

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS