ESPAÇO ABERTO: Prefeitura irá pagar indenização milionária por racismo e violência

Confira a coluna de Cícero Moura

ESPAÇO ABERTO: Prefeitura irá pagar indenização milionária por racismo e violência

Foto: Divulgação

INDENIZAÇÃO
 
A cidade norte-americana de Minneapolis concordou na sexta-feira (12) em pagar US$ 27 milhões (R$ 150 milhões) para encerrar um processo movido pela família de George Floyd por sua morte sob custódia policial.
 
INDIGNAÇÃO
 
O caso gerou protestos nos Estados Unidos contra injustiça racial e brutalidade policial. Floyd, um homem negro de 46 anos, morreu em maio do ano passado, quando Derek Chauvin, um policial branco de Mineápolis, ajoelhou-se em seu pescoço por quase nove minutos.
 
REGISTRO
 
Um vídeo que correu o mundo, mostrou os últimos pedidos de ajuda de Floyd enquanto o policial ignorava seus apelos. As imagens da violência deram início a um dos maiores movimentos de protesto já vistos nos Estados Unidos.
 
ARGUMENTO
 
O advogado da família Floyd, Benjamin Crump, disse que o valor da indenização significa que a morte de um negro nas mãos da polícia "não será mais considerada trivial, sem importância ou indigna de consequências", afirmou Crump em uma entrevista coletiva ao lado de parentes de Floyd, o prefeito de Minneapolis, Jacob Frey, e outras autoridades.
 
SATISFATÓRIO
 
A família de Floyd diz ter ficado satisfeita. "Esta parte da nossa trágica jornada sobre justiça para meu irmão George foi resolvida", disse sua irmã Bridgett Floyd em um comunicado.
 
POLICIAL
 
O julgamento de Chauvin, que foi demitido pela força policial, começou semana passada no tribunal do condado de Hennepin, sob acusações de homicídio doloso e homicídio culposo.
 
EXEMPLO
 
Que a decisão americana sirva como referência no julgamento dos assassinos do negro João Alberto Silveira Freitas. Ele foi espancado até a morte por seguranças do supermercado Carrefour, de Porto Alegre, em novembro do ano passado.
 
FLAGRANTE
 
A confusão começou dentro do supermercado quando João Alberto teria agredido um dos seguranças após discutir com uma funcionária. Imagens registradas no estacionamento do Carrefour, na Zona Norte de Porto Alegre, mostraram os dois seguranças jogando João Alberto no chão. 
 
BRUTALIDADE
 
Ele levou socos no rosto e na cabeça. A gravação mostrou a vítima pedindo ajuda. João Alberto caiu de bruços e foi arrastado pelos seguranças.
 
SOCORRO
 
Segundo a polícia, foram cinco minutos e 20 segundos entre o início da agressão e o momento em que os seguranças soltam João Alberto. Os socorristas do Samu não conseguiram reanimar a vítima, que morreu no local.
 
CONSTATAÇÃO
 
Segundo a polícia, a causa da morte foi asfixia. Os dois seguranças foram presos em flagrante por homicídio triplamente qualificado.
 
REVIDE
 
Não importa se foi João Alberto que agrediu primeiro e provocou a briga. Seguranças existem para proteger o patrimônio e a integridade no estabelecimento onde atuam. Após imobilizarem o cliente, bastava chamar a polícia e entregá-lo às autoridades.
 
PANDEMIA NO QUARTEL
 
Familiares de jovens recém incorporados no 5º BEC ( Batalhão de Engenharia e Construção ) mandaram mensagens para o colunista se dizendo preocupados com o que viram.
 
PANDEMIA 2
 
Duas mães relataram que os filhos teriam chegado em casa com sintomas de coronavírus. Eles estão no período de instrução, que é quando os jovens ficam um tempo no quartel, só saindo nos fins de semana.
 
PANDEMIA 3  
 
Os recrutas teriam dito ainda, que outros colegas também teriam apresentado sintomas da doença durante às instruções.
 
OUTRO LADO
 
O serviço de comunicação do 5° BEC pediu para que fosse feita uma solicitação oficial por e-mail para responder os questionamentos. Cumprimos com o protocolo, mas não recebemos nenhuma resposta até o fechamento desta edição.
 
SÁTIRA
 
Jornalista Rondineli Gonzalez fez uma manifestação em forma de charge sobre a quantidade de vacinas que tem vindo para Porto Velho. A ideia foi tirada da coluna de ontem, onde eu escrevi que “as doses de vacina que chegam ao Estado são tão ínfimas que cabem num carrinho de picolé”.
 
 
DRAMA
 
O jornalista, que há pouco mais de um mês perdeu sua mãe para a covid-19, é um fervoroso crítico da postura dos governos federal e estadual no gerenciamento da crise de saúde que já matou mais de 270 mil brasileiros.
 
CUSTO
 
Cada obra do Rondineli custa, no mínimo, R$ 150, mas dessa vez o colega fez a charge de forma espontânea e ‘na faixa’ para a coluna, pois entende que assim ele faz a sua parte (como cidadão e comunicador) no combate ao precário e débil gerenciamento da pandemia por parte dos políticos e administradores locais.
 
MANIFESTAÇÕES
 
O perfil pessoal de Rondineli no Facebook é farto em charges com essa temática de crítica política e social. “Entendo que as pessoas possam ter seus motivos para detestar o político que quiser. No entanto, é impossível compreender esse apoio e idolatria por políticos que desprezam a vida dos pobres, dos velhos, das crianças e dos mais fragilizados. É surreal! É a mais pura insanidade”, disse ele.
 
ATRASO
 
Governo de Rondônia mudou, nesta segunda-feira,15, horário de divulgação do balanço sobre Covid-19. O motivo seria uma discussão em grupo de jornalistas onde alguém teria dito que o Rondoniaovivo era privilegiado na informação.
 
ATRASO 2
 
Acontece que o próprio governo é quem divulgava a notícia sempre por volta de 16h no Portal Covid. Se o dito jornalista que questionou isso, se desse ao trabalho de pesquisar a informação não escreveria a bobagem que publicou no grupo.
 
ATRASO 3
 
A propósito: o print da conversa está guardado aqui na redação. O mais lamentável nisso, é o governo se interessar por besteira divulgada em grupo de whatsapp e atrasar uma informação importante que é de interesse de toda a população.
 
ATRASO 4
 
Outro detalhe esdrúxulo é alguém no governo, que está no tal grupo de jornalistas, e que, provavelmente, não deve ter o que fazer, levar para sua chefia uma idiotice dessa. E o mais absurdo, é ver um gestor com poder de decisão embarcar na asneira. 
 
FIM DO PRAZO
 
Na próxima sexta-feira (19), encerram as inscrições para quem deseja fazer o processo seletivo simplificado (PSS) para trabalhar como recenseador no Censo Demográfico 2021, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 
QUASE 1500 VAGAS
 
Em Rondônia, são 1.496 vagas distribuídas em todos os municípios do estado. Há também vagas para o cargo de agente censitário municipal/supervisor (ACM/ACS). Para o cargo, é exigido nível fundamental de instrução.
 
INSCRIÇÕES NA INTERNET
 
As inscrições podem ser feitas no site do Cebraspe (www.cebraspe.org.br/concursos), sendo a taxa de inscrição no valor de R$ 25,77. O chefe da Unidade Estadual do IBGE em Rondônia, Luiz Cleyton Holanda Lobato, ressalta que a inscrição só é confirmada depois do pagamento da taxa.
 
TESTE
 
A prova está prevista para ocorrer no dia 25 de abril, contendo 50 questões. Para ajudar os candidatos a estudarem para a prova, o IBGE disponibilizou apostila
de conhecimentos técnicos e o Código de Ética do órgão.
 
SALÁRIO
 
A remuneração de recenseador é por produção. Para que a pessoa saiba quanto pode receber, o IBGE disponibiliza um simulador de remuneração, em que a pessoa informa em qual área pretende trabalhar e quantitativo de horas de trabalho.
 
PARA O MEIO DO ANO
 
As contratações dos aprovados devem ocorrer em julho, com contratos de até três meses. Os aprovados passarão por treinamento à distância e presencial, de caráter eliminatório e classificatório, com duração de cinco dias.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS