ESPAÇO ABERTO: Em 10 anos Rondônia reduz número de adolescentes grávidas

Confira a coluna de Cícero Moura

ESPAÇO ABERTO: Em 10 anos Rondônia reduz número de adolescentes grávidas

Foto: Divulgação

 
NÚMEROS RUINS
 
Entre as regiões do país, a Região Norte é a que tem as maiores taxas de gravidez na adolescência e aquela que apresentou redução mais lenta nas últimas décadas. Boa parte disso se deve ao fator geográfico. As informações são da Associação de Ginecologia e Obstetrícia de Rondônia ( Assogiro).
 
ISOLAMENTO
 
Populações que vivem em rincões de difícil acesso, onde a política pública não chega de forma adequada para garantir os direitos dos mais vulneráveis são as mais prejudicadas.
 
DESTAQUE  
 
Apesar do cenário desolador, Rondônia se destaca entre os estados do Norte por apresentar os melhores indicadores neste quesito. Iniciou os anos 2.000 com 118,8/1.000, chegando em 2019 com uma taxa de 55,0/1.000 ou seja, uma redução de 53,7% no grupo de adolescentes de 15 a 19 anos.
 
PROJEÇÃO
 
Apesar da expressiva melhora observada nas duas últimas décadas, os objetivos atuais são de buscar alternativas para continuar a escalada de redução e chegar uma taxa aceitável de 20/1.000 em 2030. Uma meta bastante possível, visto ser Rondônia um estado próspero, cuja economia atravessou a pandemia sem grandes perdas.
 
SEM INFÂNCIA
 
A presidente da Assogiro, Ida Peréa, alerta ainda que a gravidez precoce – de 10 a 19 anos - tira das meninas oportunidades de transitar para a vida adulta de forma segura e com chances reais de prosperidade. 
 
CONTRACEPTIVOS
 
A pesquisa “Nascer no Brasil” constatou que das gravidezes que ocorrem na adolescência, 66% são não intencionais, o que significa que de 10 adolescentes que engravidam, 7 não queriam a gravidez para aquele momento. Em um estudo que entrevistou  adolescentes que deram à luz na Maternidade Municipal , no período de outubro de 2017 a junho de 2019, através do Projeto De Novo Não, essa taxa foi de 82%.
 
REINCIDÊNCIA
 
Outro ponto de atenção é quanto a gravidez de repetição, que também apresenta índices alarmantes no Brasil. Estudo revela que a taxa de gravidez recorrente variou em torno de 29,1% em pesquisas brasileiras. Em Porto Velho, esta taxa foi  23%, menor que o publicado nos estudos nacionais.
 
ALIVIAR A IMUNDICE
 
A Prefeitura de Porto Velho acordou e resolveu amenizar um pouco a sujeira pela cidade. Ontem começou um mutirão de limpeza em quatro regiões da capital.
 
BRAÇAL
 
O trabalho envolve roço, capina, varrição, limpeza de calçadas e meio-fio dos canteiros centrais.
 
LOCALIDADES
 
Servidores estão atuando no bairro Panair, Praça Jardim Primavera (3 Marias) e BR-364 no sentido da Estrada do Japonês seguindo para o viaduto da Jatuarana, atendendo demanda solicitada pela população do entorno.
 
EQUIPE
 
Os trabalhos com recolhimentos dos resíduos sólidos urbanos seguem por toda a semana. 69 servidores da Secretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb) estão envolvidos na limpeza.
 
LOROTA
 
Em novembro do ano passado, o responsável técnico do DNIT, encarregado da instalação dos novos radares no estado me disse que até o  fim de dezembro os equipamentos estariam em funcionamento. Faltavam a ligação de energia e a aferição dos detectores de velocidade.
 
LOROTA 2
 
O mesmo cidadão, garantiu também que seria feita uma ampla campanha educativa para alertar os motoristas sobre a operacionalização do sistema e quais as justificativas para os locais onde os radares estavam sendo implantados.
 
LOROTA 3
 
Semana passada, leitores da coluna escreveram dizendo que os radares já estavam funcionado e que não havia sido divulgada nenhuma campanha educativa sobre a reativação dos aparelhos.
 
LOROTA 4
 
Mandei mensagens para o responsável pela área técnica, que coordena os radares, ele leu e não se deu o trabalho de responder. Como o assunto é DNIT, não houve nenhuma surpresa.
 
LOROTA 5
 
Para não deixar os leitores sem uma resposta, procurei Emanuel Neri, do setor de planejamento do DNIT, que já atendeu à imprensa em algumas ocasiões. Emanuel informou que três radares já estão em operação. Próximo ao Bairro Novo, na entrada da Três e Meio e na descida do Tucumanzal. 
 
VALAS
 
Falando em DNIT, quando vou caminhar ainda está escuro e no retorno já não dá mais para tirar foto porque o movimento é intenso. A buraqueira na rotatória da Imigrantes com Jorge Teixeira logo vai provocar um acidente. Aguardem!
 
VIADUTO
 
O deputado Leo Moraes e o superintendente do DNIT, André Lima dos Santos, prometeram a construção de um viaduto no local para acabar com o tráfego pesado e facilitar  a vida de quem passa todos os dias por ali. Esperamos que o tal viaduto seja para ainda está década .
 
VÍDEO
 
Uma gravação em redes sociais, mostra o secretário de Obras de Guajará-Mirim, Antônio Bento, discutindo com um servidor da saúde do município. A discussão foi por causa de uma faixa de protesto pendurada no Hospital Regional (HR).
 
RECLAMAÇÃO
 
Os servidores da saúde estão indignados porque a prefeita Raíssa Bento (MDB), mulher do secretário Antônio Bento, teria retirado 20% de um benefício que foi incorporado aos salários da categoria.
 
CÂMARA DE VEREADORES
 
Ainda nesta segunda-feira,08, os vereadores de Guajará-Mirim derrubaram o veto da prefeita ao corte do benefício.  
 
SEM PUDORES
 
A atitude do secretário Antônio Bento não tem nada de democrática. Segue na linha bem estúpida que temos visto diariamente na política. O que me chama a atenção é Antônio Bento, que teve os direitos políticos suspensos por oito anos por suspeita de falsificar documentos, ter sido nomeado secretário municipal.
 
AFINIDADE
 
Mas ele é marido da prefeita. Ah!! Então pode. Eu que me equivoquei achando que poderia haver algo de vergonhoso nisso.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS