SEM VACINA: Apenas quatro municípios de Rondônia aderem à consórcio para vacina

Esse consórcio pode adquirir vacinas de laboratórios que não estão em negociação com o Governo Federal

SEM VACINA: Apenas quatro municípios de Rondônia aderem à consórcio para vacina

Foto: Reuters

O avanço vertiginoso da pandemia de COVID-19 e o aumento exponencial do numero de mortos em quase todos os municípios de Rondônia parece não ter preocupado a maioria expressiva dos prefeitos no que diz respeito à compra de vacinas. 
 
Esse indicativo parte de um documento encaminhado pela Frente Nacional dos Prefeitos – FNP, com a assinatura de 1.703 chefes de Poder Executivo Municipal demonstrando interesse em participar de consórcio para a compra de vacinas imunizantes ao COVID-19.
 
Por Rondônia, assinaram apenas o prefeito da capital e vice-presidente da FNP, Hildon Chaves; o prefeito de Cujubim, Pedro Fernandes; e a prefeita de Ariquemes Carla Redano. 
 
Esse consórcio pode adquirir vacinas de laboratórios que não estão em negociação com o Governo Federal, entre elas a russa Sputnik e a vacina americana da Johnson & Johnson.
 
Bolsonaro não quer consórcio
 
Um dos fatos que teriam levado prefeitos rondonienses a não aderirem ao consórcio da FNP é o apoio ideológico ao presidente Jair Bolsonaro, que de acordo com o que um executivo do Ministério da Saúde disse ao colunista politico Josias Lima do Uol, não quer os prefeitos à frente dessa demanda. 
 
Segundo esse Executivo, Bolsonaro não admite que consórcio de prefeitos ou aliança de governadores substituam o governo federal na negociação com os fabricantes de vacinas. Até porque fariam "gentileza com chapéu alheio", diz Bolsonaro em privado.
 
Após a publicação da matéria, a FNP atualizou o documento e registrou a assinatura de mais um prefeito de Rondônia, Isaú Fonseca, de Ji-Paraná. 
 
Confira a lista antiga e a atualizada
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

E R Santos

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS