BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

REJEITADO: Taxas de operação fazem comerciantes recusarem Cartão Alimentação em RO

A taxa de administração é 9,6% além da taxa de operação por cada vez que o cartão foi utilizado no valor de R$ 0,42

Rondoniaovivo - João Paulo Prudêncio

29 de Maio de 2020 às 16:20

Atualizada em : 29 de Maio de 2020 às 16:33

Foto: Divulgação

Anunciado pelo Governo como uma forma de suprir a falta de alimentação para milhares de estudantes que estão em casa devido à pandemia de COVID-19 no estado de Rondônia, o Auxílio Merenda, pode acabar não engrenando devido à falta de adesão dos comerciantes.

 

O problema é que as taxas cobradas pela empresa responsável pela gestão dos cartões magnéticos que serão distribuídos à comunidade com o crédito de R$ 75 estão fora dos padrões normais.

 

Veja mais:

 

DURANTE PANDEMIA: Auxílio Merenda terá cartão e poderá ser utilizado no comércio local

 

De acordo com o presidente da Associação dos Supermercados do Estado de Rondônia – ASMERON, Davi Jardim, é importante verificar a capacidade financeira de pagamento da empresa dona do cartão, pois o comerciante realizará uma venda a prazo para o cartão e posteriormente receberá o valor com o desconto da taxa de administração negociada no contrato.

 

“As taxas que estão cobrando pra fazer o credenciamento é totalmente fora da realidade tornando inviável que os supermercados ou comércios possam recebê-lo”, disse Jardim. A taxa de administração é 9,6% além da taxa de operação por cada vez que o cartão foi utilizado no valor de R$ 0,42.

 

 

No caso da compra no valor integral de R$ 75 o beneficiário leva pra casa R$ 75 e a empresa que vendeu a mercadoria receberá R$ 67,38.  Fato que torna inviável o negócio, pois a conta não fecha, já que estes custos não fazem parte da formação de preço de venda ao consumidor, além do prazo levar até 50 dias para o recebimento da venda realizada.

 

“Imagina que ele vá ao supermercado e compre dois litros de leite para em torno de R$ 7,80. A empresa do cartão receberá por conta dessa operação 9,6% mais 0,42 centavos, ou seja, só essa taxa custa 5,38% mais 9,6%%, ou seja, 14.98% de taxas que correspondem a R$ 0,74 só de taxas”, afirmou Davi Jardim.

 

O Cartão será entregue pelas próprias escolas as famílias de alunos que estão em vulnerabilidade social e caso não tenha uma ampla rede de comércios credenciados  o beneficio   se tornara um problema  pois  terá  o valor de  75,00 pra comprar mas não terá onde comprar seu alimentos .

 

Alguns mercados já se anteciparam e estão colocando placas onde informam que não aceitam o Cartão Auxílio do Governo. Por enquanto, o cartão só foi entregue de forma simbólica à uma estudante da escola Branca de Neve, na capital.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS