‘SABE QUEM EU SOU?’: Deputado Geraldo da Rondônia é acusado de humilhar servidores do CPA

Um cidadão que estava na recepção tentou intervir, porém acabou sendo humilhado por Geraldo

‘SABE QUEM EU SOU?’: Deputado Geraldo da Rondônia é acusado de humilhar servidores do CPA

Foto: Divulgação

Alvo de ação de perda de mandato no Conselho de Ética e até uma representação para que prove sua atual sanidade mental perante à Junta Médica da Assembleia Legislativa de Rondônia – ALE/RO, o deputado Geraldo da Rondônia (PSC) protagonizou mais uma cena de possível abuso de poder nesta última quinta-feira (17). 
 
Dessa vez, o parlamentar é acusado de tentar agredir e humilhar servidores públicos, entre eles um policial militar, que trabalhavam na recepção do Centro Político Administrativo – CPA, localizado na capital, Porto Velho. 
 
De acordo com denúncia registrada através de ocorrência policial, Geraldo chegou na recepção do prédio acompanhado de quatro pessoas, dois assessores e dois vereadores do interior do Estado. 
 
Geraldo buscava uma audiência com o Chefe da Casa Civil, Júnior Gonçalves, porém foi informado pela recepção que seus acompanhantes deveriam fazer um cadastro de acesso para entrar no prédio, momento em que ele teria perdido a compostura. 
 
Xingamentos e agressões
 
Indignado com a exigência de cadastro para a entrada de seus acompanhantes, o deputado teria passado a utilizar do poder de seu mandato para ofender a recepcionista com palavras de baixo calão afirmando que ela não poderia barrar a entrada de ninguém que estivesse acompanhando ele. 
 
Ao ver as ações no mínimo indecorosas por parte do deputado contra a funcionária do CPA, um policial da Casa Militar tentou intervir, porém acabou se tornando o alvo do ataque de fúria de Geraldo da Rondônia. 
 
No registro policial consta que o Geraldo da Rondônia teria tentado agredir o policial militar e que a todo momento Geraldo utilizava-se da prerrogativa de deputado para massacrar os trabalhadores. 
 
Um cidadão que estava na recepção e presenciou a cena vexatória para a ALE/RO promovida pelo deputado estadual também tentou intervir, porém acabou sendo humilhado por Geraldo, que chegou a chama-lo de “bosta”. 
 
O caso segue sob competência da Polícia Civil. Geraldo é condenado à prisão por sonegação fiscal, porém, por conta de seu foro segue livre. 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS