BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

DEPUTADO: Anderson defende a permanência dos médicos veterinários na Secretaria de Saúde

Proposta da extinção da carreira no quadro da secretaria está previsto no novo Plano de Cargos e Carreiras da Sesau

ASSESSORIA

09 de Fevereiro de 2021 às 14:38

Foto: Divulgação

O deputado estadual Anderson Pereira (PROS), recebeu na segunda-feira (8), uma comissão formada médicos veterinários, servidores do Estado e representantes do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Rondônia CRMV/RO, que trouxeram a preocupação sobre a proposta de Plano de Cargos Carreira e Remuneração – PCCR, que a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) apresentou à Comissão de Saúde da ALE-RO, que prevê a extinção da carreira do médico veterinário do quadro da secretaria.
 
Os representantes da classe defendem que o cargo de Médico Veterinário não seja extinto Sesau, pois é uma profissão que engloba três pilares da saúde única, que são a saúde animal, humana e meio ambiente.
 
De acordo com a Lei nº 5517/1968, o estudo e a aplicação de medidas de saúde pública relativo às doenças de animais transmissíveis ao homem, zoonoses, é uma das funções do médico-veterinário, um profissional de saúde reconhecido pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) desde 1998.
 
Capacitado para as atividades de inspeção e de vigilância sanitária dos produtos de origem animal consumidos pela população, o médico-veterinário trabalha para garantir alimentos saudáveis em nossas mesas, mas, ao mesmo tempo, faz análise do solo e da água, visando à sustentabilidade ambiental nos ambientes de produção animal. Seu conhecimento em vigilância epidemiológica contribui em situações de surtos alimentares e outros agravos, transmissíveis ou não, no controle de zoonoses emergentes e reemergentes e nas campanhas de imunização. Exerce atividades em laboratórios, na pesquisa, no diagnóstico, na produção de imunobiológicos e participa da produção de vacinas e medicamentos de uso humano e animal.
 
Os médicos-veterinários são de suma importância para a Saúde Pública, isso já está pacificado. No cenário de pandemia mundial, causado pelo novo Coronavírus (Covid-19), o trabalho essencial desses profissionais ficou ainda mais em evidência.
 
Anderson defende que o cargo não seja extinto, pois é importantíssimo para a preservação do meio ambiente e na inspeção da qualidade dos alimentos que chega até a mesa do rondoniense, informou ainda que vai encaminhar ao poder Executivo, com cópia à Secretaria de Saúde – SESAU, requerimento solicitando que esses profissionais permaneçam no quadro de servidores da saúde.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS