BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

AGORA É LEI: Igrejas são consideradas atividades essenciais em Rondônia

Foram estabelecidas medidas sanitárias e de segurança que serão seguidas pelos templos

Rondoniaovivo - João Paulo Prudêncio

17 de Junho de 2020 às 09:53

Foto: Divulgação

O governador do estado de Rondônia, Marcos Rocha, assinou durante a noite desta última terça-feira (16) a Lei nº 4.791 de autoria do deputado estadual Pastor Alex Silva, que reconhece dentro do território rondoniense as atividades religiosas como essenciais.

 

Essa Lei dá a garantia de que os templos de qualquer culto mantenham-se abertos e recebendo seus fiéis mesmo em período de Calamidade, a exemplo do que estamos vivendo atualmente por conta do COVID-19.


A justificativa dessa Lei, que passou pelos deputados estaduais no final do último mês de maio, é a de que os membros dessas igrejas vem realizando um papel social dentro das comunidades rondonienses, ajudando nessa época.

 

Foram estabelecidas medidas sanitárias e de segurança que serão seguidas pelos templos, o que tornará esses locais mais seguros, garantindo a integridade das pessoas que frequentam esses espaços.

 

De acordo com o governador Marcos Rocha, o Estado acompanhará essas adequações, ouvindo os lados envolvidos e atuando para garantir o direito à expressão da fé do cidadão rondoniense.

 

“É fundamental destacar que estaremos ao lado dos pastores e padres observando as melhores práticas e acompanhando o desenvolvimento da atividade. Entendemos que é algo fundamental para esse momento, pois é alimento para alma e conexão com Deus”, disse Marcos Rocha.

 

Por enquanto, o Estado segue sob as normativas da fase dois do plano de contenção ao COVID-19 e as igrejas podem funcionar, porém seguindo as  regras sanitárias estabelecidas pelo Decreto N° 25.138, de 15 de Junho de 2020.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Vereador Aleks Palitot verifica atendimento em UPAs

Vereador Aleks Palitot verifica atendimento em UPAs

O vereador conversou com a população que buscava atendimento e também com integrantes das equipes das unidades onde colheu informações para a elaboração de oficio a ser encaminhado ao Executivo cobrando as devidas tomadas de providência.

10 de Julho de 2020 às 15:06