REGIÃO CENTRAL: PMs que atuam no enfrentamento à covid-19 são vacinados em Rondônia

Policiais militares, integrantes do novo grupo prioritário, foram vacinados no 2º BPM, em Ji-Paraná

REGIÃO CENTRAL: PMs que atuam no enfrentamento à covid-19 são vacinados em Rondônia

Foto: Divulgação

 

O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Saúde) e Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) está empenhado no combate à pandemia do coronavírus em território rondoniense.
 
 
Tão logo recebe os imunizantes, já faz a distribuição às Regionais de Saúde para repassa aos municípios. Só na região Central do Estado, foram distribuídas 57.601 doses de vacinas contra a covid-19.
 
A última remessa, com 12.030 doses de vacina contra covid-19 entregue pelo Poder Executivo, por intermédio da Agevisa aos 15 municípios da região Central, foi realizada no domingo (4) para atender aos grupos prioritários da força de Segurança que atuam diretamente no enfrentamento à pandemia e idosos com idades entre 65 e 70 anos.
 
 
Nesta quinta-feira (8), 80 policiais militares, sendo 60 de Ji-Paraná, 10 de Ouro Preto do Oeste e 10 de Presidente Médici foram vacinados. A imunização dos PMs ocorreu em suas respectivas cidades de atuação.
 
“O governador, coronel Marcos Rocha está empenhado no combate à pandemia em Rondônia. A vacina traz mais segurança, principalmente, ao policial que luta diariamente contra um inimigo invisível”, pontua Everton Esteves, o secretário regional de Governo em Ji-Paraná.
 
 
A atuação dos policiais ocorre em atividades de rádio patrulhamento e patrulha C-19, guarnição que apoia a Vigilância Sanitária municipal nas ações de fiscalizações, especialmente no combate as festas clandestinas e em outras denúncias em que pessoas podem estar contaminadas com o coronavírus sem mesmo saber.
 
 
O quantitativo ainda é insuficiente para imunizar a tropa que se enquadra nos critérios de atuação na linha de frente da pandemia. Contudo, a vacinação ocorrerá de acordo com a chegada de mais dosagens”, explica a capitã Gleiciane Benfica.
 
 
A exposição dos policiais em ambientes desconhecidos no dever de resguardar vidas gera vulnerabilidade para si, para a sociedade e, especialmente à própria família.
 
“A vacinação é importante porque assegura a saúde do policial, já que eles lidam com pessoas suspeitas de estarem contaminadas o tempo todo. Eles devem ser priorizados porque estão no ‘front’ da batalha”, pondera major Frota, o comandante do 2º Batalhão, em Ji-Paraná, ao lamentar uma baixa no efetivo causada pela covid-19.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS