INSUPORTÁVEL: Alunos e servidores da escola 4 de Janeiro denunciam falta de ar-condicionado nas salas

O Sintero destaca que esta condição é inaceitável, visto que garantir a ventilação dos espaços escolares é assegurar o mínimo de dignidade e conforto para toda comunidade

INSUPORTÁVEL: Alunos e servidores da escola 4 de Janeiro denunciam falta de ar-condicionado nas salas

Foto: Divulgação

 

Os trabalhadores em educação em conjunto com os estudantes da E.E.E.F.M 4 de Janeiro procuraram o Sintero e solicitaram intervenção imediata para resolver o problema estrutural da escola que tem gerado transtornos à comunidade escolar em razão da falta de ar condicionado nas salas de aula, sala dos professores, biblioteca, depósito de merenda, secretaria e refeitório.

 
De acordo com as denúncias, a situação é precária, visto que, por diversas vezes, foi necessário interromper as aulas devido às altas temperaturas. Foi então que no dia 12 de setembro, as atividades foram paralisadas por tempo indeterminado até que a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) tome as providências cabíveis.
 
O Sintero destaca que esta condição é inaceitável, visto que garantir a ventilação dos espaços escolares é assegurar o mínimo de dignidade e conforto para toda comunidade. Além disso, todos os trâmites administrativos foram feitos pela direção da escola, inclusive via SEI, e até o momento não houve manifestações por parte da Seduc, o que mostra descaso por parte do Governo do Estado.
 
Através do ofício nº 324/2022, o Sintero formalizou a denúncia e reivindicou que medidas em caráter de urgência sejam tomadas para resolver o problema. Também foi solicitado uma audiência para que seja discutido sobre o assunto.
 
VEJA O OFÍCIO ABAIXO:
 
Direito ao esquecimento

Você já decidiu em quem votar para deputado(a) estadual, federal, senador(a) e presidente?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS