COBRAM DIREITOS: Profissionais fazem protesto em frente a Sesau após exoneração em massa

Manifestantes cobram celeridade no pagamento das rescisões

Alguns dos mais de 500 profissionais emergenciais da saúde que foram exonerados pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) estão realizando uma manifestação em frente ao Palácio Rio Madeira, sede oficial do Governo de Rondônia, cobrando agilidade no pagamento das rescisões. 
 
Eles querem que o governo acelere o trâmite rescisório, pois no momento, não têm mais nenhum dinheiro a ser recebido, depois que a Sesau publicou a listagem de exoneração.
 
A enfermeira Iris Angélica, relatou ao Rondoniaovivo que a exoneração no meio do mês, gera revolta porque o governo alega que estes dias trabalhados só serão pagos com a rescisão contratual que pode ser recebida em um ano após a demissão.
 
“Nós trabalhamos até o dia 14, esses dias trabalhados só vão ser pago daqui um ano, porque segundo eles, o governo não tem muitos profissionais para fazer os cálculos trabalhistas”, desabafa a profissional.
 
Falta de profissionais
 
A enfermeira disse ainda que os profissionais demitidos atuavam em diversas áreas da saúde pública e já existem registros de falta de trabalhadores nesses locais.
 
 “A gente não estava trabalhando só com covid-19 como foi passado, a gente estava na ortopedia, na maternidade, na clínica cirúrgica... então vai abrir um espaço muito grande e os pacientes vão ficar desassistidos, hoje mesmo estava um caos no HB”, declara.
 
Uma das representantes do protesto pacífico afirmou que o secretário Adjunto da Sesau, Nélio Santos, vai receber quatro pessoas para tentar solucionar o problema.
 
 
 
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS