BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

AUDIÊNCIA: Amazon Fort apresentará 1ª Unidade de tratamento de resíduos de Porto Velho

A audiência pública para apresentação do empreendimento poderá ser acessada pelo site da Sema, nesta quinta-feira(22), às 19 horas

ASSESSORIA

22 de Outubro de 2020 às 08:55

Atualizada em : 22 de Outubro de 2020 às 14:08

Foto: Divulgação

A população de Porto Velho deverá receber em breve a primeira Unidade de Valorização de Resíduos da capital, a UVR Porto Velho. Ela estará localizada na BR 319, sentido Humaitá, a 16 km da Ponte do Rio Madeira, em um lote rural de 120 hectares.

 

O Grupo AmazonFort, através da EcoFort, e quem está à frente desse projeto. Para apresentar a UVR Porto Velho para a comunidade, acontecerá, na próxima quinta-feira, dia 22 de outubro, às 19 horas, uma audiência pública.

 

O acesso para os interessados em participar desse evento, será através do site da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema), bastando clicar no link que estará disponível.

 

Na ocasião, serão apresentados o Estudo de Impacto Ambiental – EIA e o respectivo Relatório de Impacto Ambiental – RIMA. O local possui toda a infraestrutura para tratamento do lixo, como também com a estrutura de apoio aos funcionários que atuarão no estabelecimento.

 

 

33 ANOS

 

 

A UVR Porto Velho contará também com uma estação de tratamento de efluente, que será responsável pelo tratamento dos efluentes gerados na UVR. A estação também fará tratamento dos efluentes não perigosos coletados na capital.

 

A engenheira química e analisa ambiental Elisangela Donadoni participou do projeto da Unidade de Valorização de Resíduos da capital. Ela disse que o tempo de vida útil dessa UVR é de 33 anos e irá contribuir para a qualidade de vida da população de Porto Velho.

 

“Vai dar uma destinação adequada aos resíduos sólidos, conforme determinação legal. Ele será trabalhado de maneira correta, com técnicas de engenharia que evitam contaminação do solo, das águas subterrâneas e superficiais. Isso evitará também a proliferação de patógenos e doenças”, explicou.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS