BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

MEIO AMBIENTE: Aterros sanitários melhoram a qualidade de vida dos rondonienses

A falta de um aterro sanitário abre caminhos para os lixões a céu aberto, a degradação ambiental e a contaminação do solo.

ASSESSORIA

14 de Outubro de 2020 às 15:23

Atualizada em : 14 de Outubro de 2020 às 21:58

Foto: Divulgação

Menos de 40 por cento das cidades brasileiras fazem a disposição correta do lixo urbano, atualmente. Diante disso, os problemas relacionados à qualidade de vida nos municípios preocupam. A falta de um aterro sanitário abre caminhos para os lixões a céu aberto, a degradação ambiental e a contaminação do solo.
 
Neste cenário, as localidades que têm um aterro sanitário disponível estão em posição privilegiada no Brasil. E em Rondônia, um dos mais jovens estados do País, essa relação está colhendo bons resultados.
 
NO ESTADO
 
O Estado já possui três grandes aterros sanitários construídos pela empresa MFM Soluções Ambientais nos municípios de Vilhena, Cacoal e Ji-Paraná.
As obras atendem mais da metade das cidades rondonienses, num total de 27 municípios e mais 3 de Mato Grosso também são atendidos.
 
Cada aterro sanitário da MFM tem capacidade para receber e tratar 300 toneladas de lixo por dia, com a competência da marca, que recebeu o Prêmio Empresa Brasileira do Ano 2018, por sua Gestão de Excelência e o compromisso com a Qualidade Total.
 
 
A ESTRUTURA
 
Os aterros sanitários da MFM são dotados da mais alta tecnologia, com células para a disposição do lixo, lagoas de tratamento, Estação de Tratamento de Efluentes e a Central de Reciclagem.
 
As células são projetadas para dar segurança aos processos, com a compactação do solo e instalação de manta protetora de alta densidade.
 
Também possuem equipamentos para a descarga de gases gerados e para colher o chorume, o líquido infectante que resulta da decomposição do lixo orgânico
 
As lagoas fazem a depuração dos efluentes, que depois vão para a estação de tratamento físico e químico, onde o chorume é transformado em água.
 
Os engenheiros e técnicos ambientais têm um papel fundamental nos procedimentos, assim como os operadores e auxiliares.
 
GERAÇÃO DE EMPREGOS
 
A MFM tem contratados 200 profissionais, diretamente, e gera emprego e renda para mais 600 pessoas, de forma indireta.
 
Trabalho e dignidade para mais de 800 famílias, incluindo os catadores de recicláveis e seu capítulo especial na história da empresa, que investe em parcerias para desenvolver a reciclagem dos resíduos.
 
MFM Soluções Ambientais compromisso com o futuro.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS