BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

AVANÇO: Sapiens inicia processo de internacionalização com instituto de Portugal

Em reunião realizada na última semana, professores e coordenadores de ambos os países se uniram em uma videoconferência para começar o processo

ASSESSORIA

11 de Agosto de 2020 às 16:59

Foto: Divulgação

A Faculdade Sapiens está iniciando o seu processo de internacionalização em parceria com o Instituto Piaget, de Portugal. Em reunião realizada na última semana, professores e coordenadores de ambos os países se uniram em uma videoconferência para começar o processo.
 
"Nesse primeiro momento, o evento é um protocolo de aproximação, de desenvolvimento de projetos, trabalhos, cursos, parcerias... O processo de internacionalização demanda a reunião de professores das duas instituições", explica Gilberto Alves, representante no Brasil, do Instituto Piaget.
 
Para realizar esse processo, o Instituto Piaget foi escolhido por ser uma referência em ensino superior no mundo, fazendo trabalho no Brasil, Portugal e África, além de oferecer cursos em todas as áreas do saber. A troca de conhecimentos entre as duas instituições possibilita a inserção da Faculdade Sapiens na produção acadêmica global.
 
A diretora acadêmica, Chirlany Mendanha, explica o que o processo de internacionalização trará de benefício. “Facilita a transferência de conhecimento, mobilidade acadêmica de docentes e estudantes, oferta de disciplinas em língua estrangeira, estímulo a publicações e participação em eventos internacionais, entre outros”.
 
A professora Rosa Nogueira, de Portugal, aproveitou a oportunidade para trocar experiências sobre como as instituições de ensino estão lidando com a pandemia, como a adoção de formas diferenciadas de ensino, que mesclam o presencial com o digital.
 
"Nenhuma sala de aula será igual. Todos nós, por meio desses desafios, precisamos dar um salto de aprendizagem de novas tecnologias, de novos recursos e de novas formas de estar. O que está acontecendo é um exercício do ser professor atuando de uma força diferenciada. É por meio desses desafios que vemos a capacidade que temos de nos transformar e de ter práticas educativas inovadoras", conclui Rosa.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS