ESPAÇO ABERTO: Prefeitura distribui remédio, mas alerta que ele não serve para coronavírus

Confira a coluna de Cícero Moura

ESPAÇO ABERTO: Prefeitura distribui remédio, mas alerta que ele não serve para coronavírus

Foto: Divulgação

NÃO DEIXAR VENCER
 
Para evitar que acabe o prazo de validade, previsto para agosto, a Prefeitura de Cacoal já está distribuindo mais de 30 mil comprimidos de ivermectina. O medicamento estava guardado na farmácia central do município desde 2020.
 
ALERTA
 
Já no momento da distribuição, as pessoas são avisadas que o remédio é ineficaz contra a Covid-19, como alerta a própria Merck, responsável pela fabricação da ivermectina.
 
 
INFORMAÇÃO
 
De acordo com a empresa, não há dados disponíveis que sustentem a eficácia do medicamento contra o coronavírus. A prefeitura enfatiza que está distribuindo o remédio como vermífugo e não como solução contra o Covid-19. 
 
NO CARRO
 
A distribuição do medicamento está sendo feita pela Secretaria Municipal de Saúde de Cacoal (Semusa). De acordo com a prefeitura, a entrega é em drive-thru, no mesmo ponto de vacinação para idosos.
 
“CONSULTA”
 
A prefeitura explica que a pessoa chega, faz a ficha de preenchimento, passa pelo médico, o médico avalia, faz a receita e aí a pessoa pega o remédio. Imagino que a tal avaliação seja apenas para o médico perguntar ao paciente se ele tem hipersensibilidade à Ivermectina ou aos demais componentes do medicamento.
 
NEGATIVA
 
É meio sem sentido questionar pacientes nesse sentido já que a maioria das pessoas está indo buscar um remédio para uma finalidade sem comprovação científica.
 
EFICÁCIA
 
A única comprovação 100% confiável até o momento sobre o remédio é a eficiência política, que foge da alçada de pesquisadores e infectologistas. Existem centenas de artigos na internet sobre o assunto, mas nenhum afirma categoricamente que a Ivermectina tem uma nova propriedade de ação.
 
PELOS COTOVELOS
 
Seguindo a linha de falar tudo que vem na cabeça, o  presidente Jair Bolsonaro agora resolveu empreender uma guerra contra as redes sociais. Dá a entender que gostaria de fechar os veículos de imprensa, mas já antecipou que não o faz porque é um democrata. 
 
NADA A VER
 
JB fala uma inverdade. Só não fecha as redes porque não pode, não porque não queira. É curioso ver Bolsonaro se aborrecer tanto com a decisão das redes sociais de combater as "fake news" e de punir usuários que insistam na prática.
 
LÁ ATRÁS
 
As notícias falsas estavam muito presentes quando da sua postulação à Presidência e serviram para unir a sua tropa nos dois primeiros anos de governo. 
 
LIMITES
 
Enquanto não havia nenhuma barreira impondo limites, as redes eram saudadas pela extrema-direita como a “verdadeira” democracia. Trump se deliciou com isso quando foi eleito.
 
NOVO MOMENTO
 
As proibições trazem um fio de esperança de que é possível impor limites sim e evitar a mentira descarada e deslavada. Em Rondônia já ouvimos gestor dizer o absurdo de que a população deve ouvir suas pregações nas redes sociais e não o que  a imprensa publica.
 
GARANTIAS
 
É inadmissível ver gente na condição de representante legal do povo questionar e buscar meios que colocam em risco as garantias do regime democrático para destruí-lo. 
 
MOBILIZAÇÃO
 
Felizmente é possível observar em vários organismos, ainda que meio discreto, um esforço para tentar conter a depredação dos direitos individuais e coletivos que a civilização democrática construiu. 
 
PREFERÊNCIA
 
E nem adianta tentar questionar usando conversa mole de PT, petismo, radicalismo, etc... Não importa quem está no poder, o direito é para todos. O pensamento é livre e não há nada de democrático em tentar enfiar goela abaixo “verdades” duvidosas. 
 
OPÇÃO
 
Por mais que sejam contrários um com outro, os pensamentos de esquerda e o liberal podem ter entendimentos diferentes.
 
ESQUERDA
 
Pretende construir uma economia a partir de uma fundamentação ética: a da igualdade ou da diminuição da desigualdade.
 
LIBERAL
 
Entende que são os agentes econômicos que ditam a ética, no caso, a das oportunidades, que têm de ser iguais para todos. 
 
MUDARAM
 
Um e outro já estão longe do que pregavam. O primeiro brigou com a liberdade; o segundo, com a justiça social. Estão tentando um resgate que promete, ainda,
levar algum tempo.
 
DITADURA
 
Bolsonaro elogia o que considera como bons tempos da ditadura militar, esquecendo que hoje se vive uma realidade totalmente diferente do que foi o Brasil 70, 80 anos atrás. 
 
MITO
 
É óbvio que atrai alguns aliados com facilidade porque toca fundo no ressentimento social e individual que está presente em muitas pessoas. A população quer ordem e honestidade e Bolsonaro se apresenta como a única opção, embora os fatos o tornem muito limitado.
 
CIÊNCIA
 
Bolsonaro usa seu “saber” para questionar cientistas e epidemiologistas que defendem restrições de convivência social e vacinas. Deixa de lado a razão para tentar mostrar que não há diferença entre um TAF e uma pesquisa científica. É aí que o mito se desmistifica. 
 
PERIGO
 
Se as redes sociais não afinarem ainda mais os critérios para tirar de circulação a desinformação, a mentira e a apologia da violência todos os cidadãos correm risco. Tanto físico como moral.
 
FATOS
 
Recebo todos os dias, e o Rondoniaovivo também,  um amontoado de mensagens com denúncias de tudo quanto é tipo. Corrupção, propina, roubo, desvio de
verbas, caixa dois, agressões contra mulheres e, pasmem, até foto de político “pulando cerca”. 
 
TRIAGEM
 
De maneira alguma publicamos algo sem a origem da fonte e muito menos sem checar o fato. Nas redes sociais, muita coisa é escancarada e nem dá tempo de se defender.
 
CRITÉRIO
 
É isso que precisa ser combatido. A notícia mentirosa, não importando de onde ela venha. No entendimento de Bolsonaro, a mentira, aparentemente, só vem de
um lado.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS