BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

ESPAÇO ABERTO: Solidariedade escolhe coronel da PM para disputar a prefeitura de Porto Velho

Confira a coluna de Cícero Moura

CÍCERO MOURA/RONDONIAOVIVO

15 de Julho de 2020 às 08:33

Atualizada em : 15 de Julho de 2020 às 16:09

Foto: Divulgação

 
COSTURANDO
 
Quando o ex-governador Daniel Pereira saiu do PSB, em junho do ano passado, e entrou no Solidariedade, as apostas seriam de que ele estariam se preparando para disputar a eleição deste ano. Não estava, entre aspas.
 
ARTICULAÇÃO
 
Na verdade, Daniel prepara um projeto político, sem a necessidade de ser cabeça de chapa, que envolva a Prefeitura e o Estado em 2022. Uma boa articulação política envolvendo a prefeitura poderia render frutos em uma eventual disputa ao Senado ou Câmara dos Deputados.
 
NOME FORTE
 
Para conseguir isso, Daniel Pereira teria primeiro que conseguir um nome forte, conhecido, e com pouca rejeição. Astuto e articulador, o ex-governador conseguiu achar alguém com pouca rejeição e um bom prestígio junto à sociedade.
 
CONVITE
 
15 dias atrás, o ex-comandante da  Polícia Militar, Ronaldo Flores, conversou comigo e me informou do convite que havia recebido de Daniel Pereira. O ex-governador viu no coronel Ronaldo um candidato com perfil de administrador, transparente e de boas relações pessoais.
 
CONVITE 2
 
Disse ao coronel Ronaldo que realmente ele poderia ser um bom nome para entrar na disputa do pleito de novembro. Tanto em uma candidatura para prefeito ou como vice de um candidato com carisma junto à população.
 
CONVITE 3
 
Como era uma conversa com um amigo, gaúcho e também torcedor do Internacional, preservei o sigilo solicitado por Ronaldo até que Daniel Pereira se encarregasse de anunciar oficialmente o nome do coronel como candidato do Solidariedade.
 
O QUE VEM POR AI
 
No início da semana, Daniel Pereira foi questionado a confirmar o nome dele como candidato a prefeito de Porto Velho. O ex-governador negou a especulação, mas confirmou o coronel Ronaldo Flores como o nome do Solidariedade na disputa eleitoral. Seja como candidato a prefeito ou a vice. 
 
COMPOSIÇÃO
 
Numa eventual disputa como cabeça de chapa vários nomes poderiam compor com o Solidariedade. Vejo, por exemplo, Thiago Tezzari do PSD como um vice qualificado. Thiago conseguiu a proeza de se manter discreto e trabalhar na gestão confusa de Hildon Chaves.
 
COMPOSIÇÃO 2
 
Outro nome que poderia ser muito bem-vindo ao Solidariedade seria da vereadora Cristiane Lopes do PP. Cristiane já teria anunciado uma candidatura própria, mas não vejo a nobre parlamentar com respaldo para tanto.
 
COMPOSIÇÃO 3
 
Creio que Cristiane poderia somar positivamente saindo como vice de um candidato forte e bem estruturado. Sempre é bom lembrar que Cristiane é do mesmo partido da deputada federal Jaqueline Cassol.
 
COMPOSIÇÃO 4
 
O Solidariedade ainda teria também uma opção de candidatura própria com candidatos do próprio partido. Ronaldo Flores para Prefeito e Marcia Luna, ex-secretária de Mauro Nazif, Hildon Chaves  e ex-Presidente da Caerd.
 
COMPOSIÇÃO 5
 
No caso de uma candidatura como vice-prefeito, vejo que o Solidariedade poderia fazer parte da chapa com Léo Moraes do Podemos. Léo, caso confirme a candidatura para prefeito, ainda não tem vice definido e teria realmente um companheiro de chapa habilitado a assumir a prefeitura em caso de encarar uma disputa ao Governo em 2022. 
 
COMPOSIÇÃO 6
 
Nessa hipótese citada acima, tanto Léo Moraes como Daniel Pereira estariam dispostos a sentar e, quem sabe, construir a parceria. Ambos tem pretensões  para 2022 e como aliados estariam à altura de um grupo de oposição que se prepara para vir com tudo.
 
COMPOSIÇÃO 7
 
Só para deixar claro que isso são suposições do colunista que vem acompanhando o cenário político atual em Porto Velho e Rondônia. Outra coisa: Não recebo, e nem vou aceitar, “mimos” para falar bem desse ou daquele candidato. Que cada um seja feliz no seu quadrado.
 
DOAÇÃO
 
A  JBS entregou à Prefeitura de Vilhena um grande carregamento com EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) que somam 232 mil itens entre aventais, luvas, máscaras (cirúrgicas e N95), macacões impermeáveis, protetores de calçados e toucas.
 
SELECIONADA
 
Esta é primeira doação da JBS para à cidade e faz parte do programa “Fazer o Bem Faz Bem – Alimentando o Mundo com Solidariedade”, criado pela empresa para beneficiar cerca de 200 municípios no Brasil com parte dos R$ 400 milhões que destinou para o combate à pandemia.
 
 
ESTADO
 
 
Em Rondônia, a JBS fará a doação de R$ 16,2 milhões, beneficiando cerca de 800 mil pessoas. Em Vilhena, além da doação dos EPIs avaliados em mais de R$ 430 mil, está prevista a entrega de equipamentos para a Central de Atendimento à Covid-19 nos próximos dias, o que permitirá ampliar a quantidade de leitos de UTI disponíveis no município exclusivamente para pacientes com o novo coronavírus. 
 
GOLPISTAS
 
A Controladoria-Geral da União fez cruzamento de dados e identificou 382 pessoas físicas de posse de veículos de luxo de até R$ 300 mil reais em Rondônia inscritas no auxílio emergencial.
 
 
GOSPISTAS 2
 
A CGU realizou cruzamento entre a base de dados do Auxílio Emergencial versus base de dados do DENATRAN, identificando os 382 benefícios, que correspondem a R$ 229.200,00 por parcela, podendo alcançar um valor próximo de 1 milhão de reais, pagos indevidamente a pessoas com renda superior ao estabelecido na legislação federal.
 
 
MEDIDAS
 
A CGU vai notificar individualmente os supostos beneficiários para devolução dos recursos e caso se comprove o crime de falsidade ideológica, irá encaminhar aos órgãos competentes para aplicação da pena que poderá chegar a reclusão de um a cinco anos, além de multa, conforme prevê o art. 299 do Código Penal Brasileiro.
 
 
PATRIMÔNIO
 
Entre os veículos identificados, cadastrados nos CPF dos beneficiários do auxílio emergencial, estão veículos como LEXUS RX350, JAGUAR F-TYPE COUPE, M.BENZ CLA250 entre outros modelos de luxo.
 
 
DEVOLVER
 
A CGU orienta os cidadãos que receberam irregularmente o auxílio emergencial que façam sua devolução ao governo federal por meio de Guia de Recolhimento da União – GRU, seguindo as orientações constantes no canal virtual do Ministério da Cidadania:
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS