ÁGUAS QUE ME TOCAM: festival aborda o caminho do alimento que vem dos rios e a culinária afetiva

Juraci Junior recebe como convidados para o bate-papo a antropóloga e pesquisadora Clarinda Ramos e o geógrafo e pesquisador Gustavo Gurgel

ÁGUAS QUE ME TOCAM: festival aborda o caminho do alimento que vem dos rios e a culinária afetiva

Foto: Divulgação

A afetividade do alimento até chegar a nossa mesa é discutida no quarto dia do Festival Águas que me Tocam, que traz como tema o “Rio que me Sustenta” e recebe como convidados para o bate-papo a antropóloga e pesquisadora Clarinda Ramos e o geógrafo e pesquisador Gustavo Gurgel. No episódio, o público vai conhecer histórias de homens e mulheres que mantêm uma relação muito próxima com os rios amazônicos, contadas no documentário inédito criado especialmente para o festival. O festival é exibido todas às sextas-feiras, a partir das 20h do horário de Rondônia, pelo YouTube: https://www.youtube.com/juracijunior. 
 
 
Além de professora e pesquisadora, Clarinda Ramos - indígena do povo sataré-mawé -  é gerente, cozinheira e uma das idealizadoras da Casa de Comida Indígena Biatuwi, da cidade de Manaus, no Amazonas, um espaço que reúne arte, cultura e, principalmente, a culinária tradicional dos povos indígenas da região. Ela é uma das personagens do documentário Águas que me Tocam e conta sobre a relação das comunidades com o rio, que também é caminho para a comida que vem das aldeias para abastecer o restaurante na cidade. 
 
 
 
 
Gustavo Gurgel do Amaral é o segundo convidado da noite. Doutor em Geografia, atualmente ele desenvolve pesquisas na área da geografia cultural, geografia das emoções e das sensações com o tema Geografia dos Sabores: os saberes da cozinha popular beradeira. No bate-papo, ele fala não só sobre a trajetória da comida até a mesa, mas também sobre a relação das cidades com os rios, que são a base para a formação de populações ancestrais que até hoje guiam e delimitam territórios.
 
 
 
 
O festival “Águas que me Tocam” de artes integradas é produzido pela Casa do Rio Filmes, contemplado pelo Edital nº 32/2021/SEJUCEL-CODEC - 2ª Edição Pacaás Novos - Prêmio para Difusão de Festivais Mostras e Feiras Artísticos-Culturais. lei 14.017/2020 Lei Aldir Blanc. No total, serão cinco episódios, com exibição sempre às sextas-feiras. 
 
 
Confira os episódios que já rolaram e acompanhe a programação dos próximos:
 
 
“O Rio e a Música”: https://youtu.be/ch1qr_z0mao  
 
 
“O Rio e as Memórias”: https://youtu.be/bNQ9L023S5E  
 
 
“O Rio que se Move em Mim”: https://youtu.be/bLWuTemFxKA 
 
 
Sexta-feira - 03/06
 
 
“O Rio que me Sustenta”: com exibição do documentário “Águas que me Tocam”, com direção de Juraci Júnior, e bate-papo com Clarinda Ramos, indígena sataré-mawé mestra em Antropologia Social, e Gustavo Gurgel do Amaral, doutor em geografia dos Sabores.
 
 
Sexta-feira - 10/06
 
 
“O Rio e a Palavra”: apresentação do espetáculo “Mormaço/Estiagem”, de Elizeu Braga (RO), poeta, que desponta como um dos principais nomes da literatura nacional Contemporânea. 
 
 
Acompanhe também a programação em: 
 
 
 
Direito ao esquecimento

Você acha que os escândalos do Governo Bolsonaro prejudicam a pré-candidatura à reeleição?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS