EMILI SOUSA: Festival Delas abordará identidade, visibilidade e território da mulher indígena

A pluralidade da mulher amazônida indígena assume o palco deste segundo episódio onde a jornalista Emilli Sousa recebe a escritora Núbia Sussuarana, a fotógrafa Pi Suruí e a artista visual Déba Tacana,

EMILI SOUSA: Festival Delas abordará identidade, visibilidade e território da mulher indígena

Foto: Divulgação

O segundo episódio do “Festival Delas - O que é que a caboca tem?” será transmitido nesta quarta-feira (04), às 19h30, no canal do YouTube da jornalista e empreendedora cultural, Emilli Sousa (www.youtube.com/emillisousa).

 

Assista ao primeiro episódio do Festival Delas (https://www.youtube.com/watch?v=NlMZuJci6Kk&t=1331s) com o tema “Mulher na História da Amazônia”

 

Com o tema “Mulher Indígena: Identidade, visibilidade e território”, o bate-papo abordará questões sensíveis pertinentes a essas mulheres amazônidas, personagens do festival, que por muitas vezes têm seus direitos questionados ou anulados no dia a dia.

 

A pluralidade da mulher amazônida indígena assume o palco deste segundo episódio onde a jornalista Emilli Sousa recebe a escritora Núbia Sussuarana, a fotógrafa Pi Suruí e a artista visual Déba Tacana, além das participações da ativista indígena Txai Suruí e da jornalista Luciene Kaxinawá. A trilha sonora deste encontro fica por conta do grupo musical Cunhãs - Meninas da Amazônia.

 

"Por muito tempo, a história dos nossos povos indígenas foi narrada por outras pessoas e o Festival Delas quer ouví-las do ponto de vista de quem viveu e vive. Por isso é tão importante ter essas mulheres inspiradoras em cena para uma troca que é necessária e tem tanto a contribuir com a formação consciente do nosso povo”, afirmou Emilli.

 

Sobre as participantes

 

Núbia Sussuarana - Escritora e intérprete de Libras

 

Doutoranda em linguística, mestra em letras com pesquisa na área da linguística da libras. Professora universitária na disciplina de libras e intérprete de libras. Membra do Grupo de Estudos da Cultura e Modos de Vidas Amazônidas - Gepcultura - UNIR, membra do projeto "Açaí com Libras". Intérprete perito do TJ-RO. Autora dos livros "Metaplásmos na Libras", "Amazônia pelos Amazônicos" e "Sinais para Conhecer Rondônia: História, Cultura e Libras” e “Libras, esta é a nossa língua”.

 

Pi Suruí – Fotógrafa

 

Ativista indígena do Povo Paiter Suruí. Fotógrafa. Comunicadora do Mídia Índia. Membro da Associação de Defesa Etnoambiental - Kanindé. Coordenadora de Cultura da Metareilá. Conselheira do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial - CEPIR. Articuladora do Movimento da Juventude Indígena de Rondônia e estudante de Psicologia.

 

Déba Tacana - Artista visual

 

Pesquisadora, educadora e artista visual. É ceramista, filha de indígenas e caboclos ciganos, formou-se no chão das periferias por entre as diversidades e lutas populares das fronteiras culturais e geográficas da Amazônia ocidental. É licenciada em Artes Visuais pela Universidade Federal do Vale do São Francisco e mestra na linha de ensino das Artes Visuais pela Universidade Estadual de Santa Catarina.

 

Grupo Cunhãs - Meninas da Amazônia

 

Grupo musical composto por meninas (crianças e adolescentes) moradoras da comunidade Gleba Maravilha, a 5,5 km de Porto Velho-Rondônia. Foi criado com a missão de contribuir com a construção de uma sociedade consciente, que preserve o meio ambiente, seus costumes e tradições, buscando sempre o equilíbrio entre a qualidade de vida local, as mudanças socioeconômicas e tecnológicas.

 

--

Direito ao esquecimento

Você concorda que os vereadores de Porto Velho continuem atuando online, mesmo com a queda nos casos de covid-19?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

West Maq

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS