DOCUMENTÁRIO: Filme faz resgate histórico da Feira do Cai N'água; lançamento será nesta terça,7

A autora é a pesquisadora Cecileide Correia Silva, que assina também o projeto “Canta Zezinho – Rascunhos”.

DOCUMENTÁRIO: Filme faz resgate histórico da Feira do Cai N'água; lançamento será nesta terça,7

Foto: Divulgação

O documentário “Dia de Feira - Do Sertão ao Cai N'água”, da pesquisadora Cecileide Correia Silva, será lançado nesta terça-feira,7, às 9 horas, na Feira do Pescado, no Cai N'Água, na cidade de Porto Velho, RO. O filme foi produzido pela Cantadô Produções, sob o comando da maestrina Sabrynne Senna.

 

A pesquisadora explica que a ideia inicial era realizar um documentário que pudesse contar um pouco da História de Porto Velho como ponto de partida do mundo chamado “feira”.

 

 

 

 

“Minha família tem as raízes pautadas pela trilha de feiras, mercados, sacos de farinha, sacos de açúcar, café e muitos ratos aparecendo no local. Desde criança, fomos acostumadas a rotina de viver o mundo de comércio, pesando feijão ou arroz, ou apenas olhando o que ocorria. Meus pais, analfabetos, sobreviveram graças ao comércio de estivas”, relata Cecileide.

 

Para ela, resgatar a História da Feira do Pescado, surgida ainda nos anos 70, é resgatar o silêncio daqueles feirantes e ribeirinhos que muito contribuíram para o progresso de Porto Velho.

 

 

 

 

“Falar dos primeiros permissionários, fazer uma linha no tempo e apresentar o hoje, como estão, o que ficou daquela comércio e, acima de tudo falar de feira, é relatar a minha História e a História das nossas raízes", diz.

 

Pioneiros

 

Seu Cícero Correia Da Silva e o senhor França (famoso seu Dico), segundo a autora do documentário, foram os primeiros a montar suas tendas sob o forte sol do mês de agosto, na década de 70, à beira do Rio Madeira, quando ocorreu a reforma da Feira Modelo.

 

“Esse comércio cresceu e virou um Mercado, tal como prometido pelo governador Coronel Teixeira. Saindo das tendas e galpões, chegamos à Feira do Pescado a famosa feira do Cai n’agua, inaugurada em 1982, tendo como primeiros permissionários e fundadores Seu Cícero, Seu Dico e Amarildo Sales, afilhado e fiel escudeiro de Cícero, que é envolvido com essa área comercial desde 1972 até hoje.”

 

 

Pesquisa histórica

 

Para realizar o documentário, Cecileide explica que fez pesquisa fotográfica e documental, especialmente no acervo da família Correia e Silva. O enfoque maior, de acordo com ela, foi na História oral através de entrevistas, considerando não haver dados sobre o tema. “Realizamos nos últimos 08 meses entrevistas com os comerciantes que permanecem no Mercado do Pescado, familiares do seu Cicero Correia, bem com seu Dico, com 90 anos de idade.

 

Quem é a autora do documentário

 

Cecileide é servidora do Judiciário, com formação em Direito e História. Filha dos comerciantes Cícero Correia e silva e Maria de Lourdes Silva (Feirantes). Ela afirma que a pesquisa é uma de suas grandes paixões.

 

Canta Zezinho

 

Seu último trabalho foi o projeto “Canta Zezinho – Rascunhos”. Ela fez a pesquisa bibliográfica do artista porto-velhense Zezinho Maranhão e sua obra. Sob a responsabilidade da Cantadô Produções Artísticas, o projeto culminou com a Mostra Musical Canta Zezinho, em abril de 2021.

 

 Veja um pouco da mostra  Canta Zezinho:https://www.youtube.com/watch?v=SRq7jphkHzY

 

Ela tem participação também nas pesquisas e roteiros dos musicais “Canto Para Todos”, de autoria da maestrina Sabrynne Senna, realizado todos os anos pelo TJRO e Ministério Público.

 

E como vive em constante atividade, Cecileide já está com outro projeto de pesquisa em andamento sobre um ponto esquecido da História de Porto   Velho que, segundo ela, merece o resgate. Por enquanto, a pesquisadora não quis citar qual seria esse lugar.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS