BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

EDITAL: Dois artistas de Rondônia são selecionados pelo 'Arte como Respiro'

Éder William e Raíssa Dourados são destaque na produção de audiovisual rondoniense

texto - assessoria

22 de Julho de 2020 às 08:16

Atualizada em : 22 de Julho de 2020 às 11:16

Foto: Divulgação

Raissa Dourado é a responsável pelo média-metragem “Vozes da Memória”, também de 2018, um filme selecionado pelo Edital do Governo de Rondônia Lídio Sohn, o filme sintetiza parte da história da cultura portovelhense, este filme circulou todo o país por meio da Mostra Sesc de Cinema em 2019.
 
 
 Além deste edital do Itaú Cultural, voltado para o audiovisual, Raíssa Dourado venceu outro edital do programa Arte Como Respiro, o edital voltado para as artes visuais.
 
 
Éder William é o responsável pelo curta metragem “Ana” de 2018, um filme romântico que tem como protagonista uma mulher portadora de nanismo, este e seus outros filmes tem participado de inúmeros festivais pelo brasil e pelo mundo. Além deste edital do IC, foi um dos selecionados pelo edital de emergência “SESC Convida”. 
 
Em tempos de pandemia e quarentena, um dos setores mais afetados, com certeza é o cultural. Milhões de artistas parados, empresas fechadas e pouca expectativa de retomada do setor. Um cenário caótico para o segmento que tem sido o nosso alívio, 
 
tem sido a válvula de escape, o entretenimento das pessoas enjauladas dentro de suas próprias casas, afinal quem não tem consumido arte nesses tempos de reclusão social? 
 
 
Com o objetivo de movimentar a economia criativa de maneira rápida e eficaz, nesse momento tão complicado, o Itaú Cultural (IC) lançou diversos editais em um projeto chamado “Arte como Respiro”. O sexto edital, voltado para o setor do audiovisual, recebeu 3.578 inscrições, dentre elas foram escolhidos 200 trabalhos de 23 estados das cinco regiões do país. 
 
 
Na lista de selecionados que o IC divulgou nesta segunda-feira, 20 de julho, estão o artista Édier William e a artista Raíssa Dourado, ambos vêm se destacando no cenário audiovisual rondoniense e brasileiro. 
 
 
Em um momento de tantas incertezas essas duas criativas pessoas, esses dois artistas, nos dão a certeza de que a arte produzida no nosso continua viva, sendo produzida nos quartos, salas, janelas, sacadas, banheiros, na intimidade dos nossos artistas. 
 
 
Texto e imagem: assessoria 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS