SEM FRAUDES: 'Não há mais do que reclamar, perdemos o jogo', diz Mourão

Em entrevista ao jornal O Globo, vice-presidente disse que não houve fraude nas eleições

SEM FRAUDES: 'Não há mais do que reclamar, perdemos o jogo', diz Mourão

Foto: Divulgação

O vice-presidente da República e senador eleito, Hamilton Mourão (Republicanos), disse que “não há mais do que reclamar” em relação às eleições de 2022 e afirmou que é preciso “baixar a bola”.

 
Em entrevista ao jornal O Globo, publicada nesta quarta-feira (2), Mourão questionou a participação de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições presidenciais, mas afirmou que a campanha de Jair Bolsonaro (PL) concordou com as regras e “perdeu o jogo”.
 
“Nós concordamos em participar de um jogo em que o outro jogador [Lula] não deveria estar jogando. Mas se a gente concordou, não há mais do que reclamar. A partir daí, não adianta mais chorar, nós perdemos o jogo”, disse Mourão. “Não considero que houve fraude na eleição”, completou.
 
Sobre os protestos de bolsonaristas que bloqueiam rodovias no país contra a vitória de Lula, Mourão disse que deveriam ter sido feitos quando Lula foi considerado apto a se candidatar e que, agora, é preciso “baixar a bola”.
 
“Ali deveriam ter ido para a rua, buzina. Mas não fizeram. Existem 58 milhões de pessoas inconformadas, mas aceitaram participar do jogo. Então tem que baixar a bola”, colocou o vice-presidente.
 
Pronunciamento de Bolsonaro
 
Mourão considerou que, ao contrário do que acreditava que aconteceria, Bolsonaro, em seu primeiro pronunciamento após a derrota nas eleições, não fez acusações ao processo eleitoral e nem a Lula. Segundo o vice-presidente, o atual mandatário se mostrou “tranquilo” e “sereno” .
 
Ele ainda considerou que Bolsonaro “procurou a melhor forma de falar tudo o que queria falar sem incorrer em ofensas e ilegalidades”. “Ele está reagindo à maneira dele”, afirmou.
 
“Já está estendida a ponte para que a transição seja executada, pelo Ciro Nogueira e quem for de direito da chapa do Lula”, disse.
 
Relação com Geraldo Alckmin
 
Mourão contou que, após a divulgação do resultado da eleição, enviou uma mensagem ao vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB), que respondeu com uma ligação de agradecimento.
 
“É de boa educação eu me dirigir a ele e dizer que estamos em condição de recebê-lo, que a casa em que ele vai morar está em condições de ser vistoriada. Ele é um cara educado, eu também sou”, colocou.
 
Relação com Bolsonaro
 
Questionado sobre sua relação com o presidente, Mourão disse que os dois nunca tiveram desentendimentos que o fizessem “perder o sono” e completou que nunca brigou com Bolsonaro publicamente.
 
“Eu nunca briguei com ele publicamente. Ele reclamava de mim, pô. É aquela história, eu tenho noção, né? No atacado nós temos o mesmo pensamento, mas a forma de fazer as coisas é outra”, pontuou.
 
Mourão ainda o classificou como “incisivo” e “verborrágico”.
 
“Ele é um sujeito mais incisivo, mais verborrágico, e eu não sou. Minha forma de fazer as coisas é outra”, completou.
 
Senado
 
Questionado se irá dialogar com Lula como senador eleito em 2022 e aceitar um possível convite para ir ao Palácio do Planalto, Mourão respondeu: “Lógico”.
 
Sobre seu futuro mandato como senador, disse que não atuará de maneira isolada no Senado e que pretende “agregar as pessoas em torno das suas ideias”.
 
“Você tem que entender que na política uma andorinha apenas não faz verão. Se você não consegue agregar as pessoas em torno das suas ideias, você não vai fazer nada, vai ficar igual um Dom Quixote bradando ao vento”, destacou.
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

E M M M de Barros

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS