BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

EM PLENA PANDEMIA: Megafesta de Neymar revolta moradores de Mangaratiba, no Rio

O jogador do PSG e da Seleção brasileira ignora, com a atitude, recomendações da prefeitura local de evitar aglomerações

Terra

28 de Dezembro de 2020 às 10:14

Foto: Divulgação

A megafesta de réveillon de Neymar para cerca de 500 convidados – segundo revelou O Globo – durante cinco dias em sua mansão em Mangaratiba, no litoral sul do Rio, está repercutindo muito mal entre os moradores locais. Vizinhos de condomínio ou de bairros da cidade têm se manifestado com revolta em redes sociais sobre o evento, considerando a atitude de Neymar como, no mínimo, irresponsável.
 
O jogador do PSG e da Seleção brasileira ignora, com a atitude, recomendações da prefeitura local de evitar aglomerações, mesmo que em ambientes privados, neste final de ano, em razão do avanço da pandemia de covid-19 em todo o País, notadamente naquele município, que determinou a volta de barreiras sanitárias por causa do aumento recente do número de infectados na região.
 
A festança já começou e os convidados têm chegado aos poucos. A maioria vai ficar hospedada em hotéis e pousadas próximos ao condomínio onde fica a mansão de Neymar.
 
O assunto virou motivo de críticas a Neymar em páginas que reúnem moradores da cidade em redes sociais. No grupo “Mangaratiba News”, do Facebook, o número 10 da Seleção tem sido alvo de uma enxurrada de protestos.
 
“Um absurdo, um sem juízo, mas fazer o quê? Celebridade, né?”, reagiu Nice Albuquerque. “Ele tem dinheiro, pode fazer barulho, festas, soltar fogos e um pouco mais”, registrou Ana Lucia. Outra participante do grupo, Alzany Lopes, lamentou a indiferença de Neymar à pandemia de covid-19 destacando que seu marido foi internado com a doença.
 
Em toda a cidade, a megafesta de Neymar está presente nas discussões. Morador de Mangaratiba, o funcionário público Robson Fernandes disse ao Terra que o jogador “está incentivando” a proliferação da covid-19 e “manchando o nome de Mangaratiba”.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS