BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

DURANTE SEXO: Anvisa autoriza importação de gel derivado de maconha para reduzir dor

Produto aposta em ação analgésica e anti-inflamatória do canabidiol (CBD) e teve aval para comercialização no mercado brasileiro

PANORAMA FARMACEUTICO

30 de Setembro de 2020 às 16:50

Atualizada em : 30 de Setembro de 2020 às 16:53

Foto: Divulgação

 

PANORAMA FARMACEUTICO - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a comercialização de um gel à base de maconha para ser usado no controle de dores e desconforto durante as relações sexuais. O produto, lançado pela empresa GreenCare há pouco mais de um mês, tem como premissa os benefícios do canabidiol (CBD) na dor periférica por conta da sua ação analgésica, anti-inflamatória e do aumento da sensibilidade no local.

 
Segundo Andreia Chulan, head de marketing da empresa, o produto não deve ser confundido com um lubrificante sexual, tem indicações médicas específicas e é necessário receita médica para a compra. O gel também não está disponível nas farmácias — em caso de prescrição, é preciso adquiri-lo por meio da importação autorizada pela Anvisa.
 
Algumas doenças causam dor e desconforto sexual nas mulheres: endometriose, vaginismo e vulvodínia — e é para esses casos que o gel é indicado. “Muitas mulheres usam medicações para dor para realizar o ato sexual. A dor durante o sexo compromete a qualidade de vida”, diz.
 
Estima-se que pelo menos 60% das mulheres já tiveram algum episódio de dor ou desconforto durante ou após o ato sexual. Estudos internacionais indicam que existe uma prevalência média de 20% a 45% de dor sexual feminina na população. No Brasil, dados da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo apontam que 48,5% das mulheres procuram, em alguma fase da vida, ajuda médica por conta de disfunções sexuais como dor, dificuldade para atingir o orgasmo ou diminuição do desejo sexual.
 
Foi o que aconteceu com a médica Carolina, de 34 anos. Ela fez uma cirurgia no começo do ano para retirada de pólipos no colo do útero e, depois disso, passou a sentir fortes dores durante o sexo com o marido. Ela conta que por seis meses tentou controlar a dor usando diferentes tipos de lubrificantes, sem sucesso. Então procurou sua ginecologista para pedir ajuda e soube da possibilidade de usar o gel à base de maconha.
 
“Eu já conhecia os efeitos do canabidiol no controle da dor crônica, mas não sabia que existia um produto ginecológico. Como eu não queria tomar medicamentos, achei a alternativa ótima”, conta Carolina. “O alívio da dor é imediato. Antes de usar o gel, tinha uma dor de 0 a 10 perto de 8. Agora sinto só um desconforto, nível 2. Melhorou completamente a qualidade do sexo”, afirmou.
 
O canabidiol é um fitocanabinoide que apresenta propriedades analgésicas e anti-inflamatórias. Assim como a pele, o sistema genital e reprodutor feminino possui receptores para ação do produto. Por ser um vasodilatador, o canabidiol aumenta a circulação auxiliando o relaxamento da musculatura e tornando a região mais sensível ao toque, além de estimular a lubrificação natural.
 
“À medida em que a mulher tem menos dor, a lubrificação natural vai aumentar. O produto inibe a ação da dor sem anestesia, então a mulher continua tendo as sensações de prazer”, explica Chulan.
 
 
Segundo Chulan, o gel não tem gosto, nem cor e nem cheiro e deve ser aplicado de 10 a 15 minutos antes da relação sexual. “Para um melhor efeito, a gente recomenda a reaplicação a cada ato sexual”, diz. Cada tubo rende de 15 a 30 aplicações e custa R$ 169.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS