BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Nossos verdadeiros heróis são eternos

COLUNA

04 de Fevereiro de 2020 às 14:48

Vendo o novo vídeo institucional do Exército, lançado neste mês, não há como deixar a emoção de lado. De Guararapes em 1648 até o século XXI, inúmeras passagens invictas deixaram personalidades marcadas em nossa história. Focando no nosso Estado de Rondônia, como não falar do Cap Aloísio Ferreira na Ferrovia Madeira-Mamoré, do Cel Jorge Teixeira na transição de território pra estado, e principalmente daquele que até empresta o seu nome a essa porção noroeste do Brasil: Marechal Rondon, o Marechal da Paz.

 

Rondon nasceu em Mimoso, Mato Grosso, em 1865, enfrentando dificuldades que, se para a atual juventude seriam motivos de desesperança e mau caminho, marcaram uma vida de sucesso. Ao longo do que hoje é a BR-364, a instalação de linhas telegráficas do Brasil para a Bolívia e o Peru teve o seu traçado desbravando rincões desconhecidos, travando contato com índios que até o agrediram com uma flecha envenenada; no entanto, seu lema “morrer se preciso for, matar nunca” o conduziu a cumprir todas as suas missões com incomparável competência.

 

Mas não foi somente de atividades militares que Rondon se destacou. Intermediando diplomaticamente o conflito entre Colômbia e Peru pelo Porto de Letícia na década de 1930, na criação do então Serviço de Proteção aos Índios em 1910, sendo o seu primeiro diretor, na ideia de estabelecimento do Parque Nacional do Xingu em 1952, entre tantos outros momentos, Rondon se mostrou extremamente ativo na vida pública da recém criada República.

 

Reconhecimento? Além da promoção ao posto de Marechal, é um orgulho enorme pra todos os Brasileiros sabermos que o seu nome está perenizado no Meridiano 52, na sua indicação para o Prêmio Nobel da Paz em 1957, além de estar eternizado em incontáveis municípios, bairros, escolas e aeroportos ao longo de todo território nacional.

 

Por isso e muito mais, nós, pessoas esclarecidas, temos a obrigação de manter viva a chama da verdadeira história nacional, desconstruindo anos e anos de uma doutrinação inescrupulosa que sofreram (e ainda vêm sofrendo) os nossos jovens; tenhamos força para prosseguir, acreditando que podemos sonhar com dias muito melhores. Estamos indo no caminho certo, em todos os aspectos.

 

Nossos verdadeiros heróis nacionais agradecem, e não me refiro a artistas, cantores, participantes de reality show e outros pseudo personagens...

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS