BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

PÓS PANDEMIA: Machu Picchu será gratuito como uma medida para reviver o turismo no Peru

Um lugar incrível que todo mundo deveria ter a chance de conhecer. A gratuidade para esse patrimônio da humanidade ficará disponível do primeiro dia de julho até dezembro de 2020.

A SOMA DE TODOS OS AFETOS

22 de Maio de 2020 às 10:05

Foto: Divulgação

Se você já teve a oportunidade de viajar, podemos concordar o quanto é uma experiência agregadora. São novas paisagens, gastronomia, tradições e chance de estar em contato de relaxamento e aprendizado ao mesmo tempo. No entanto, como resultado da pandemia, isso ainda parece distante de acontecer novamente. Contudo, alguns lugares já pensam em como revitalizar o turismo para quando tudo isso passar.
 
É por isso que um dos destinos favoritos da América do Sul já começou a trabalhar: o goveno peruano anunciou que Machu Picchu estará livre de 1º de julho até o final do ano, como uma dessas medidas de alavancar novamente o turismo
 
E todas as medidas sanitárias possíveis também são programadas para que esse passeio histórico seja possível.
 
 
Só que aí vem a pegadinha: a gratuidade será apenas para funcionários públicos, crianças, adolescentes e adultos com mais de 60 anos, sejam eles nacionais ou estrangeiros; portanto, para a maioria das pessoas, ainda será necessário pagar. Mas a gente sabe que de uma família, se alguém não precisar pagar algo, já é um baita desconto no bolso.
 
Mas se você ficou desapontado (a), calma: o governo também anunciou que será possível fazer a visitação de outros 55 outros sítios arqueológicos e 22 áreas naturais nas províncias do país de graça, nas quais as Linhas se destacam. Nasca; Caral, a cidade mais antiga da América conhecida até agora, e a cidadela de Kuélap.
 
Sobre as medidas sanitárias, o óbvio: o uso de máscaras em todos os monumentos históricos.
 
 
Além disso, para visitar os lugares será necessário reservar com antecedência e terá um número de pessoas limite. Com isso, também soma-se as distâncias de 2 metros entre os turistas, a lavagem e a desinfecção das mãos devem ser respeitadas, a proibição da aglomeração de pessoas.
 
Só de imaginar poder viajar novamente, saudades!
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS