DISPARO DE ARMA: Segurança de Zambelli é preso e prisão da deputada também foi pedida

Jornal Nacional mostrou a deputada cair sozinha, simular agressão e confessar crime; pesquisas internas apontam efeito devastador na campanha de Bolsonaro

DISPARO DE ARMA: Segurança de Zambelli é preso e prisão da deputada também foi pedida

Foto: Divulgação

O segurança da deputada bolsonarista Carla Zambelli (PL) foi preso em flagrante por disparo de arma de fogo. A informação foi confirmada pelo delegado Percival Alcântara, titular do 78º DP de São Paulo. O sujeito estava com a deputada no momento em que ela sacou uma arma e perseguiu um homem negro nas imediações da avenida Paulista.
 
Ainda não há informações sobre a identidade do segurança e nem sobre para onde ele foi levado após a prisão.
 
O jornalista Luan Araújo, o homem negro perseguido pela deputada, diz estar assustado e falou sobre racismo no caso. Segundo sua defesa, ele vai prestar queixa de ameaça e racismo contra a parlamentar.
 
Carla Zambelli nega racismo no caso. Ao dar sua versão sobre o que ocorreu, Zambelli disse que "usaram um negro" para ir em cima dela.
 
Efeito devastador
O presidente nacional do PSol, Juliano Medeiros, informa em sua conta do Twitter na manhã deste domingo (30), que teve acesso a pesquisa qualitativa que avaliou, há pouco, o impacto das imagens de Carla Zambelli apontando uma arma para um homem negro desarmado após uma discussão. “O efeito é DEVASTADOR para Bolsonaro e Tarcísio”, disse. “Se circularem bastante, a diferença pode aumentar”, encerra.
 
Crime
O advogado Marco Aurélio Carvalho, coordenador do Grupo Prerrogativas, anunciou neste sábado (29) que vai acionar a Justiça para que Carla Zambelli seja presa por crime eleitoral.
 
"Vamos pedir a prisão da deputada Carla Zambelli. O TSE proibiu a partir de 24 horas antes da eleição o porte de arma, o que é crime eleitoral punível, inclusive, com prisão", disse Marco Aurélio Carvalho em vídeo gravado ao lado do deputado estadual Emidio de Souza (PT-SP), coordenador da campanha de Haddad. 
 
"Cena deplorável, criminosa. Uma das deputadas mais votadas de São Paulo que não honra nenhum de seus votos. Orientada por seu chefe, sacou a arma junto com seus capangas, encurralou um homem negro por conta de divergência política, de arma em punho", declarou Emidio. 
 
Além de ser enquadrada pela Justiça Eleitoral, Zambelli pode, ainda, ter que responder por violar o artigo 15 da Lei nº 10.826, que prevê reclusão de dois a quatro anos, além de multa, para quem "disparar arma de fogo ou acionar munição em lugar habitado ou em suas adjacências, em via pública ou em direção a ela, desde que essa conduta não tenha como finalidade a prática de outro crime". 
 
Apesar de saber das implicações de seu ato, Zambelli afirmou, em entrevista, que "ignorou" conscientemente a lei. "Eu sou legisladora. Ordens ilegais não se cumprem. Conscientemente estava ignorando a resolução e continuarei ignorando a resolução do Alexandre de Moraes", disse. 
 
Segundo a Fórum apurou, a parlamentar de extrema direita teria inicialmente sacado arma após ter sido provocada por um sujeito que a chamou de “espanhola”, alcunha que se popularizou contra a ela após boatos de natureza moral sobre sua vida pessoal no passado. O barulho do tiro, que teria sido disparado por um dos seguranças da deputada, é que teria chamado a atenção de militantes de esquerda que estavam próximos ao local, e eles toram então até a calçada e começaram a registrar o ato tresloucado de Zambelli contra o homem negro. 
 
Cassação 
Além de ser acionada na Justiça, Carla Zambelli será representada no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados por ter sacado arma no meio da rua e ameaçado homem por divergência política. 
 
Deputados do PT já anunciaram ações contra a bolsonarista para que ela seja cassada. "Esta fascista da deputada Carla Zambelli tem de perder o mandato atual e não ser diplomada. Vou representar no Conselho de Ética. Atirando em pessoas na rua por desavenças políticas. Esta gente não pode continuar governando", anunciou o deputado federal Rogério Correia (PT-MG). 
 
Já o deputado federal Alencar Santana Braga (PT-SP) informou que acionará a Justiça para que Zambelli perca seu porte de arma. "Vou pedir a cassação do porte de arma da Carla Zambelli, amiga de Bolsonaro e Tarcisio. Uma pessoa desequilibrada como essa não pode andar armada, pois é uma ameaça a qualquer pessoa que esteja perto dela. O seu crime precisa ser investigado a fundo e não pode ficar impune!", disse. 
 
Novo vídeo desmente versão de Zambelli 
Um novo vídeo da confusão protagonizada pela deputada federal bolsonarista Carla Zambelii desmente sua versão de que foi agredida por militantes de esquerda e que por isso teria saca uma pistola em plena luz do dia, na região da Avenida Paulista, em São Paulo.
 
As novas imagens mostram que ela parte para cima do tal homem negro que a teria provocado, cai sozinho (e por isso tem uma marca no joelho). A cena mostra também que um de seus assessores, também armado, faz um disparo.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

E M M M de Barros

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS