ELEIÇÕES 2022: Justiça manda reintegrar servidores que foram removidos

A justiça eleitoral publicou nesta terça-feira (25/10), decisão na qual suspende a remoção de servidores da EMATER

ELEIÇÕES 2022: Justiça manda reintegrar servidores que foram removidos

Foto: Divulgação

 

A justiça eleitoral publicou nesta terça-feira (25/10), decisão na qual suspende a remoção de servidores da EMATER que não aceitaram apoiar a candidatura de Marcos Rocha ao Governo de Rondônia. No dia 10 desse mês, o governo publicou portarias que removiam e/ou exoneravam servidores da estatal.
 
O Desembargador Miguel Monico Neto, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RO), decidiu por derrubar os efeitos das portarias que tratavam das remoções de servidores, sem a apreciação do mérito da ação. Quanto às exonerações, não foram desfeitas. O processo continuará tramitando para uma análise mais aprofundada do juiz eleitoral e uma futura decisão.
 
Entenda o caso
 
Os servidores prejudicados impetraram uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral para derrubar suas remoções, bem como exonerações que também foram feitas, alegando que o fato deles não apoiaram a candidatura de Marcos Rocha foi a motivação dessas decisões.
 
A ação movida, denuncia uma suposta organização por parte de algumas autoridades, como o governador Marcos Rocha e o presidente da EMATER, visando intimidar e ameaçar os funcionários da empresa que não aceitam participar ativamente da campanha eleitoral.
 
Conforme a petição, "desde o início do primeiro turno, observou-se por parte dos Investigados a utilização do aparato estatal com vistas a ofender a liberdade do voto e obter vantagens indevidas, desequilibrando o pleito".
 
A ação continua dizendo que muitos servidores "foram ameaçados de exoneração se não trabalhassem como voluntários na campanha política, fato este [exoneração] que se concretizou no início do segundo turno".
 
No dia 11 de outubro, diversos servidores da EMATER foram exonerados e/ou removidos da empresa, conforme podemos ver na imagem abaixo que também foi anexada na ação.
 
 
 
Os advogados relataram que as exonerações e/ou remoções foram feitas "Disfarçado de rotina burocrática e carente de motivação(...), servindo a estrutura da EMATER como arma política do detentor da caneta", no caso, o governador Marcos Rocha e seu vice, Sérgio Gonçalves.
 
O que diz o Governo de Rondônia?
 
Não conseguimos contato com o Governo do Estado de Rondônia, caso queiram comentar o caso, o espaço está aberto.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS