VÍDEO: Membros de facção mataram jovem por engano a mando de presidiário

O crime aconteceu no dia 01 de agosto do ano passado na Rua União, bairro Socialista, na zona Leste de Porto Velho (RO)

A Delegacia Especializada em Crimes Contra a Vida (DECCV) prendeu na manhã desta segunda-feira (29) os criminosos identificados como Rui Valdo Cardoso dos Santos, 41, e Anderson Silva da Anunciação, 26, vulgo "Frango" acusados de participação na morte do jovem Riquelme William Barbosa, 18. 
 
O crime aconteceu no dia 01 de agosto do ano passado na Rua União, bairro Socialista, na zona Leste de Porto Velho (RO). Após investigações intensas, os policiais civis da Homicídios sob o comando da delegada Leisaloma Carvalho, cumpriram mandados judiciais na zona Leste, bairro Socialista.
 
De acordo com os investigadores, Anderson seria o condutor da motocicleta no dia da execução a tiros. Um adolescente de 17 anos, que efetuou os disparos está sendo procurado.
 
Conforme a polícia, Rafael Ribeiro dos Santos, 28, vulgo "Bodó" teria sido o mandante do crime. Na época, ele estava preso na penitenciária Jorge Thiago Aguiar Afonso, o "603". O jovem Riquelme acabou sendo confundido e morto por engano.
 
Rafael Ribeiro dos Santos, 28, vulgo "Bodó" está foragido
 
Os criminosos, segundo as investigações, são integrantes da facção criminosa Primeiro Comando do Panda (PCP) e a intenção era matar um rival do Comando Vermelho (CV).
 
O jovem Riquelme não tinha nenhum envolvimento com facções criminosas e acabou perdendo a vida inocentemente.
 
Nesta segunda-feira durante as buscas na residência de Anderson, os agentes da Homicídios ainda apreenderam droga enterrada no quintal do imóvel.
 
Confira a nota da Polícia Civil
 
A Polícia Civil do Estado de Rondônia, por intermédio da Delegacia de Homicídios de Porto Velho, deflagrou na manhã desta segunda-feira(29/03), a Operação ABERRATIO. 
 
A ação policial ocorre em resposta a morte do jovem Riquelme William Barbosa executado por integrantes de facções criminosas dia 01/08/2020 em Porto Velho-RO. 
 
Os policiais civis cumpriram dois mandados de prisão preventiva e três mandados de busca e apreensão domiciliar nesta capital. Os dois homens presos hoje são considerados líderes da facção criminosa.
 
O inquérito foi presidido pela delegada Leisaloma Carvalho. As investigações apontaram que os suspeitos planejaram, preparam e executaram o crime. 
 
Restou-se apurado que a ordem para matar teria partido de dentro de um presídio de Porto Velho. O alvo era um integrante da facção rival, mas houve um erro de execução e assassinaram a pessoa errada. Riquelme era um jovem inocente e sem nenhuma passagem pela polícia. 
 
“A prisão desses infratores é o meio estritamente necessário para fazer cessar a atividade desse grupo criminoso, especialmente pelo “modus operandi” utilizados para matar a vítima, o qual foi morto de forma inocente e por engano, com vários disparos de arma de fogo, com requintes de execução sumária e mediante ordem, em tese, emitida de dentro da cadeia desta cidade, forma que comumente é utilizada por faccionados, tendo como pando de fundo a guerra entre facções”, finalizou a Delegada Leisaloma Carvalho.
 
A ação policial desta manhã,  contou com apoio operacional de agentes da Delegacia de Patrimônio.
 
O nome da Operação ABERRATIO, etimologicamente vem do latim e significa “erro de alvo”, sugere a ideia de que a morte da vítima ocorreu com erro sobre a pessoa e com a consequente execução sumária  de um inocente.
 
Delegada Leisaloma presta coletiva de imprensa:

Galeria de Fotos da Notícia

VÍDEO: Membros de facção mataram jovem por engano a mando de presidiário

VÍDEO: Membros de facção mataram jovem por engano a mando de presidiário

VÍDEO: Membros de facção mataram jovem por engano a mando de presidiário

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS