BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

'CORONA DA MORTE': Tiroteio em festa clandestina acaba com jovem baleado em Porto Velho

Uma equipe da Polícia Militar durante essa madrugada havia prendido um homem portando uma pistola. Aos policiais quando preso, ele disse que estava indo matar um rival na mesma festa em que ocorreu o tiroteio

Rondoniaovivo

21 de Fevereiro de 2021 às 17:28

Atualizada em : 22 de Fevereiro de 2021 às 08:00

Foto: Richard Nunes /Rondoniaovivo

Um intenso tiroteio ocorrido em uma festa clandestina realizada em uma chácara na Estrada do Teotônio, KM 02, zona rural de Porto Velho (RO) deixou o jovem David Eduardo M. A., 21, em estado grave ao ser baleado com tiro na perna, que atingiu a veia femoral. O caso ocorreu por volta das 5h da madrugada deste domingo (21). Ninguém foi preso.

 

As informações obtidas pelo Rondoniaovivo afirmam que a festa ocorria com participação de pelo menos 200 pessoas, segundo testemunhas. Em determinado momento houve desentendimento e troca de tiros entre alguns convidados. A vítima baleada foi socorrida ao hospital João Paulo II e teve de ser intubada.

 

A Polícia Militar somente foi avisada do crime nesta tarde de domingo. Equipes da Polícia Civil e PM junto com a Perícia Criminal foram até a chácara e encontraram ao chão várias cápsulas de pistolas calibres .40 e 9mm.

 

Durante a perícia verificou-se que portas, janelas e louças da chácara foram danificados possivelmente em meio a briga generalizada. A Delegacia Especializada em Crimes Contra a  Vida (DECCV) foi até o local e já tenta identificar os autores do ataque.

 

O proprietário da chácara alega que alugou o ambiente para uma família comemorar o aniversário de 20 anos de uma jovem, mas no contrato tinha as cláusulas para que fosse respeitado o distanciamento social  em virtude da pandemia.

 

Uma equipe da Polícia Militar durante essa madrugada havia prendido um homem portando uma pistola. Aos policiais quando preso, ele disse que estava indo matar um rival na mesma festa em que ocorreu o tiroteio.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS