'POR PRAZER': Polícia prende psicopatas acusados de matar motoristas de App

Um sobrevivente clamou a Deus pela vida e foi poupado

'POR PRAZER': Polícia prende psicopatas acusados de matar motoristas de App

Foto: Reprodução

Um homem, de 20 anos, e dois adolescentes, de 15 e 17, foram presos na noite de segunda-feira, 15, suspeitos de terem roubado e matado três motoristas de aplicativo que estavam desaparecidos desde o dia 11 deste mês, em Cuiabá e Várzea Grande (MT). Segundo a Polícia Civil de Mato Grosso, eles confessaram friamente a execução dos crimes e indicaram os locais onde ocultaram os corpos das vítimas.
 
"Eles deixaram claro que não iriam parar e que o objetivo deles, além de ficar com o veículo, era matar a vítima do roubo. Independente dela reagir ou não, independente dela pedir pela sua vida ou não, ela iria morrer de qualquer forma", disse Farias.
 
Os policiais reforçaram que os jovens falaram em "sentir prazer" com as mortes, como se fosse uma espécie de compulsão.
 
Os corpos de Márcio Rogério Carneiro, 34 anos e Elizeu Rosa Coelho, 58 anos, foram localizados no bairro Jardim Petrópolis, na região do Chapéu do Sol, e em um lixão próximo do Capão do Pequi, ambos em Várzea Grande. A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá (DHPP) continua com as diligências nesta terça-feira para encontrar o corpo da terceira vítima, Nilson Nogueira, de 42 anos.
 
Um outro homem, que não teve a identidade divulgada também foi sequestrado pelo trio, mas sobreviveu. Ele teria sido a primeira vítima do grupo, e, clamando por Deus, apelou pela vida para os criminosos, que não o mataram.
 
OS DESAPARECIMENTOS
 
As investigações da DHPP iniciaram na manhã de sábado, 13, após a equipe do Núcleo de Desaparecidos (NPD) receber informações sobre a primeira vítima, Elizeu Coelho. Depois, veio a comunicação do desaparecimento dos outros dois motoristas de aplicativos, Nilson Nogueira e Márcio Rogério Carneiro (OS TRÊS APARECEM NA FOTO QUE ILUSTRA ESTA REPORTAGEM).
 
Elizeu Coelho estava dirigindo um veículo Fiat Uno, por aplicativo de corrida, quando saiu para trabalhar no período da noite da quinta-feira, 11, e não fez mais contato, comportamento que não era habitual, segundo sua família. Os parentes começaram a buscar pela vítima e um genro de Elizeu encontrou o Fiat Uno perto de uma praça no bairro Cristo Rei.
 
A segunda vítima, Nilson Nogueira, morador do CPA 3, saiu de casa no início da noite de sábado para trabalhar como motorista de corridas por aplicativo, com seu veículo GM Ônix prata. O pai da vítima procurou a Polícia Civil no domingo relatando que não conseguia falar com Nilson, que ele não tinha o hábito de dormir fora de casa e o celular estava fora de área. As investigações apuraram que o veículo de Nilson foi visto já na madrugada de domingo, por volta das 04h35 próximo à Ponte Nova, sentido Cuiabá - Várzea Grande.
 
Na manhã de segunda-feira, o NPD recebeu o registro de desaparecimento da terceira vítima, Márcio Carneiro, que morava em um condomínio na Alameda Júlio Muller, em Várzea Grande. A esposa da vítima relatou que ele saiu de casa por volta das 21h de domingo dirigindo um Fiat Palio branco, locado, e desde então não fez mais contato. Na mesma manhã, o veículo foi localizado pelo proprietário, sem as placas, no bairro Cristo Rei.
 
Segundo a Polícia Civil, a análise de imagens de câmeras de segurança, entre outras diligências realizadas pela DHPP, possibilitou a identificação dos três suspeitos que foram vistos próximos do carro da primeira vítima, no Cristo Rei.
 
Eles estavam com as mesmas roupas em que apareceram nas imagens das câmeras. Ao serem abordados, perto da UPA do Cristo Rei, o trio confessou os crimes e apontou onde estavam os corpos de duas vítimas.
 
Ainda de acordo com os delegados, os homens abandonavam os carros em uma técnica chamada de "esfriar". "Eles deixavam esfriar o veículo para ver se tinha algum rastreador. E aí, como tinha rastreador, os veículos foram recuperados. Isso aí é um modus operandi de quem faz subtração de veículos automotores", explicou.
 
Os três foram encaminhados no fim da noite de segunda para a sede da DHPP, interrogados e autuados em flagrante pelos crimes e atos infracionais análogos, respectivamente, a roubo majorado pelo concurso de pessoas, por restringindo a liberdade das vítimas, grave ameaça com emprego de arma branca e resultado morte em decorrência da violência e ocultação de cadáver das vítimas. O adulto responderá ainda por corrupção de menores.
Direito ao esquecimento
Como você classifica os serviços da Energisa?
Como você classifica a gestão do prefeito Hildon Chaves em Porto Velho?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS