54 ANOS: Indígena morre após ser picado por uma das cobras mais venenosas do Brasil

Antônio Sabanê não resistiu à peçonha da Surucucu Pico de Jaca

54 ANOS: Indígena morre após ser picado por uma das cobras mais venenosas do Brasil

Foto: Divulgação

 

Faleceu na noite de ontem, no Hospital Regional de Vilhena, onde estava internado havia três dias, o indígena Antônio Sabanê. Ele tinha 54 anos e foi picado por uma cobra na aldeia Sowainte, às margens do rio Roosevelt, próximo de uma região conhecida como “Farinheira”.
 
Após ser picado na perna pela serpente da espécie “Surucucu”, Antônio foi trazido pelos próprios irmãos de etnia até Vilhena. A cobra que o atacou foi morta, mas uma foto dela foi trazida para que a equipe médica pudesse avaliar o melhor tratamento a ser recebido pela vítima.
 
O ofídio que levou à morte de Antônio também é conhecido como “Pico de Jaca”. Além de grande, a serpente é uma das mais venenosos do Brasil, responsável por várias mortes no país.
 
O indígena, que deixa vários filhos, será velado primeiro na aldeia Aroeira, que fica em Mato Grosso, mas a menos de 30 km da área urbana de Vilhena. Depois, uma outra cerimônia fúnebre será realizada no mesmo local onde ele foi picado.
 
Os dois velórios e o sepultamento obedecerão às tradições indígenas. O atestado de óbito aponta como causa da morte de Sabanê choque hipovolêmico decorrente da coagulação do sangue.
Direito ao esquecimento

Você é a favor da construção de espaços pets nas praças de Rondônia?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS