MISTÉRIO: Homem assassinado em zona rural trabalhava como vigilante de escola

Irmão disse que família não tem informações sobre a motivação do crime

MISTÉRIO: Homem assassinado em zona rural trabalhava como vigilante de escola

Foto: Divulgação

 

Por telefone, o FOLHA DO SUL ON LINE conversou com um irmão do servidor público Wellington Rodrigues Soares, de 32 anos, assassinado a tiros na noite de ontem, na cidade de Espigão do Oeste, onde a esposa estava internada num hospital, após passar por cirurgia.
 
Segundo o entrevistado, que mora em Vilhena, ele tomou conhecimento do crime através da reportagem publicada pelo FOLHA DO SUL ON LINE, o primeiro site de notícias de Rondônia a relatar o assassinato, cuja motivação não foi divulgada (CONFIRA AQUI).
 
Embora o Boletim de Ocorrência mencione que o atirador teria dito que Wellington é morador de Vilhena, o irmão garante que ele residia no distrito de Alto Guarajus, pertencente ao município de Corumbiara, onde trabalhava como vigilante em uma escola pública.
 
A instituição de ensino, onde o vigilante conheceu a esposa, que tem 35 anos e é professora, inclusive, publicou uma nota no Facebook lamentando o ocorrido (VEJA NA IMAGEM SECUNDÁRIA). Wellington, que estava em um novo casamento há cerca de um ano, deixa três filhos da união anterior, um morando em Cerejeiras e dois em Tangará da Serra (MT).
 
“Ele não tinha inimizades, era uma pessoa boa e a gente não esperava receber uma notícia dessas”, disse o irmão, acrescentando que a família acompanha o caso, mas não tem nenhuma informação sobre a motivação do assassinato a sangue frio.
 
 
Direito ao esquecimento

Qual você acha que será o resultado do jogo entre Brasil e Croácia na sexta-feira (09)?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

R Q Passos LTDA

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS