PORRADA: Prefeito interino e vereador partem para agressões físicas e PM é chamada

A briga entre os dois parlamentares começou na semana passada, quando Samir realizou um “pit stop” na principal avenida de Vilhena, e convidou para o ato a esposa de Macedo

PORRADA: Prefeito interino e vereador partem para agressões físicas e PM é chamada

Foto: Divulgação

 

Em visita à redação do Folha do Sul online na manhã desta terça-feira, 06, o prefeito interino de Vilhena, Ronildo Macedo (Podemos) explicou o incidente entre ele e o vereador Samir Ali, do mesmo partido, atual presidente da Câmara, registrado instantes atrás.
 
Macedo chegou a tentar acertar um tapa no rosto de Samir, que logo após a agressão foi até a Polícia Civil, acompanhado de outros vereadores, registrar queixa pela agressão. O confronto físico aconteceu durante a sessão da Câmara, e Ronildo admite que também teve como alvo um assessor da Casa.
 
A briga entre os dois parlamentares começou na semana passada, quando Samir realizou um “pit stop” na principal avenida de Vilhena, e convidou para o ato a esposa de Macedo, Cris Del Pino (PMN) e Dhonatan Pagani (Podemos). Ambos são candidatos a deputados estaduais.
 
O prefeito interino acusou Samir de usar a estrutura dele para transformar Cris em uma “cobaia de campanha”. Macedo disparou, na entrevista ao site: “o Samir tá cheio de armações, mas enquanto ele atacava só a mim, eu ia tolerando. Agora, ele tentar usar minha esposa, a quem eu sempre vou proteger, aí não aceito e reajo até com firmeza sem necessário”.
 
O COMBINADO
 
Ronildo diz que, quando a esposa foi lançada candidata, ficou acertado entre ele e Samir que o colega iria apoiá-la. Em troca, Macedo se engajaria na campanha dele para prefeito interino, marcada para o dia 30 de outubro.
 
O prefeito diz que, além de não cumprir o trato, Samir lhe pediu várias portarias na prefeitura “para fortalecer a campanha dele mesmo” como seu substituto no pleito suplementar, mas estava se dedicando a outros candidatos, inclusive alguns que são “para-quedistas”, sem qualquer ligação com Vilhena.
 
A GOTA D’ÁGUA
 
Hoje, ao saber que uma CPI estava sendo protocolada na Câmara, e desconfiando que o próprio Samir e o ex-vereador Carmozino Alves, que hoje exerce influência através do mandato da esposa, Clérida Alves (Avante), estariam por trás de iniciativa, foi até o Parlamento.
 
Ao pedir a Samir usar a palavra a fim de se defender, Macedo diz ter ouvido o ex-aliado ameaçar chamar a polícia para lhe dar voz de prisão. Aí, os ânimos se acirraram: “eu passei a mão no nariz dele, e ele me empurrou”, admite o entrevistado.
 
DEMISSÃO EM MASSA
 
Após a briga, que só não resultou em pancadaria, Macedo determinou que rodos os portariados indicados por Samir e Carmozino fossem imediatamente exonerados de sua gestão. “Os dois juntos colocaram quase 200 comissionados na prefeitura”.
 
Sobre a CPI que pode resultar em seu afastamento, Macedo dispara: “não ligo de ficar sem mandato. O que não vou fazer é ficar sem caráter”.
Direito ao esquecimento

Você já decidiu em quem votar para deputado(a) estadual, federal, senador(a) e presidente?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS