DEFESA CIVIL MONITORA: Água do rio Madeira começa a invadir casas da Comunidade Ressaca

Ainda não houve necessidade de remoção de famílias, tanto de áreas ribeirinhas quanto do perímetro urbano

DEFESA CIVIL MONITORA: Água do rio Madeira começa a invadir casas da Comunidade Ressaca

Foto: Divulgação

Funcionários da Defesa Civil do município de Porto Velho visitaram os distritos da região do Baixo Madeira, nos dias 24 e 25, para levar apoio e orientação às comunidades ribeirinhas.
 
“Os administradores distritais nos acompanharam e indicaram os locais onde os moradores são mais vulneráveis. Em geral, são famílias já habituadas com esse fenômeno e que acabam adaptando seus lares conforme o nível do rio se eleva”, explicou o coordenador da Defesa Civil, Edmilson Hobold.
 
Dezenas de famílias foram visitadas pela equipe da Defesa Civil.
 
Até o momento, segundo Hobold, somente na Comunidade de Ressaca, distante três horas, de voadeira, do centro de Porto Velho tem registrado a chegada da água em algumas casas. “É a mais vulnerável da região. No entanto, as famílias conseguem adaptar seus lares com o apoio e orientação prestados pela Defesa Civil”, disse o coordenador.
 
Média
 
O nível do rio Madeira, na sexta-feira (26) apresentou 15,83 metros e, segundo a Defesa Civil, está dentro da oscilação prevista para essa época do ano, tendo como base a série histórica. “A elevação, em média, é de 5 a 8 centímetros a cada 24 horas. Pode haver cenários de estabilidade e recuos dentro do prazo de dois a três dias”, explica.
 
Ainda não houve necessidade de remoção de famílias, tanto de áreas ribeirinhas quanto do perímetro urbano.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS