BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

SUSTO: Mais um porco do mato aparece na região central de Porto Velho

Os moradores capturaram o animal, mas depois soltaram em uma área de mata da região, onde costumam a aparecer jacaré e cobras

Rondoniaovivo

26 de Agosto de 2020 às 11:10

Atualizada em : 27 de Agosto de 2020 às 08:13

Foto: Divulgação

Os moradores da rua São Paulo, entre as ruas Joaquim Nabuco e Brasília, no bairro Areal, área Central de Porto Velho, foram surpreendidos na tarde da última terça-feira (25), com o aparecimento de um porco do mato.

Eles se mobilizaram e conseguiram colocar o animal dentro da varanda de uma residência e contactaram os órgãos ambientais, para que fosse realizada a captura do bicho. No entanto, depois de muita espera e ninguém aparecer, eles decidiram soltar o porco do mato, em uma área verde da região, onde passa um igarapé.

Os moradores contaram que que nesse córrego, onde fica a mata, são comuns os aparecimentos de animais selvagens. “Porco do mato, é o primeiro que apareceu aqui. Mas, já encontramos cobras, sucuris e jacarés”, disseram.

Um vídeo foi feito pela comunidade, mostrando o animal capturado e aguardando a chegada dos setores responsáveis pela captura de animais silvestres.

Recentemente, uma manada de porcos do mato, foi capturada em pleno centro de Porto Velho. Os animais, oito no total, deram trabalho para o Corpo de Bombeiros e Ibama na hora de serem capturados. Na época, os Bombeiros informaram que havia a suspeita de que tinha uma manada desses animais na região do 5º BEC, no bairro Triângulo, na capital.

O capitão Jairo, da Polícia Ambiental, informou que o motivo desses animais aparecerem na área urbana, é a procura por comida.

 

“Esses bichos aparecem na cidade em busca de alimentos, e, devido ao período de estiagem, clima seco e o perímetro urbano ser próximo ao habitat natural deles, isso faz com que mudem de rota”, explicou.

 

A orientação é para que caso a população se depare com porcos do mato, tem que entrar em contato imediato com Ibama ou Corpo de Bombeiros, que são órgãos especializados para fazerem a captura. “Esses animais são agressivos e podem atacar”, alertou o policial.

 

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS