FREIO E FUCINHEIRA - Ataques a presidente da Assembleia e Imprensa nascem no CPA – Por Paulo Andreoli

Não será desta forma que terão um segundo mandato delegado pelo povo de Rondônia em 2022

FREIO E FUCINHEIRA - Ataques a presidente da Assembleia e Imprensa nascem no CPA – Por Paulo Andreoli

Foto: Divulgação

Não tem nada de novo no que vou relatar. Nada mesmo. Nestes 15 anos atuando na Imprensa de Rondônia não é a primeira vez que acontece e pelo jeito não será a última vez que assisto este tipo de lambança. E sei também como acaba.
 
Estou me referindo a montagem de ‘gabinetes de ódio’ dentro da sede do governo de Rondônia e dos ataques contra a Imprensa. Em todos as outras gestões que acompanhei, tinha-se a figura dos incompetentes ensandecidos.  Mas na minha “inocência”, imaginei que não aconteceria mais com a chegada do atual Governo. Mas era ledo engano. E vou reportar apenas dois casos pontuais que aportaram na última semana.
 
NUMERO 1
 
A assessoria do presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB), precisa ter mais atenção com os ataques ao deputado. Existem fortes indícios que vídeos contra o parlamentar que estão circulando são montados na sala ao lado onde o governador despacha. Inclusive estamos de posse do nome do desocupado comissionado, que de acordo com denuncia, estaria inclusive, usando computador e horário de trabalho no Estado para os ataques contra o presidente do poder legislativo. Sugiro que o deputado faça registro na delegacia contra o crime organizado e faça valer o respeito necessário.
 
NUMERO 2
 
Manter um veiculo de comunicação é missão séria. Além de primar pela verdade (doa a quem doer) e ter a justiça social como principal sustentáculo, existe a dificuldade de ser empresário no Brasil. Até brinca-se que empreender neste país não é para amadores.
 
Desta forma, chega informe que funcionários comissionados, também instalados dentro do CPA estão usando da estrutura oficial para manter funcionando um “site noticioso”, que no próprio nome já diz a que veio e deixa claro que ali só existe uma versão.
 
Para piorar neste caso, o suposto e ‘isento’ noticioso não tem sede física, não possui CNPJ, não tem jornalista responsável, nem funcionários registrados. Para criminalizar a situação estaria sendo ‘atualizado’ usando computadores do próprio governo por “jornalistas’ pagos com dinheiro dos contribuintes. Vale ressaltar que o tal veiculo de comunicação’ também não possui nenhum anunciante. É o conhecido ‘bate pau de político’
 
FUCINHEIRA 
 
Cabe as pessoas que estão sendo atacados por estes CDS palacianos, fazerem uma representação ao Ministério Público de Rondônia, buscando suporte da secretaria de crimes cibernéticos que pode desnudar os caminhos na rede lógica do Palácio. Usar estrutura do Governo para beneficio próprio é crime. Usar para atacar adversários políticos é jogo imundo e rasteiro.
 
Se o fiscal diligente da lei em Rondônia, o brioso MPE tiver interesse, posso enviar os nomes, contracheques e outros indícios que me enviaram, que servirão para desenrolar o fio da meada. Como disse no início, este tipo de ‘façanha’ não é novidade.
 
E cabe ao governador, colocar freio nos jumentos e focinheira nos cães raivosos que habitam ao ser redor. Não é atacando parlamento e Imprensa que terá a governabilidade necessária para manter Rondônia nos trilhos do crescimento. Não será desta forma que terão um segundo mandato delegado pelo povo de Rondônia em 2022. 
 
E sim, como acaba? Ao final do mandato do governante de plantão, estes 'profissionais' recolhem-se as suas insignificâncias ou acabam enrolados com a justiça. 
Direito ao esquecimento

Qual é a rede social que você mais acessa?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública.

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS