BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CADÊ A CARROCINHA? Área comercial do centro de Porto Velho é tomada por cachorros - Fotos

Comerciantes e trabalhadores, onde seus respectivos ambientes de trabalho estão localizados na rua Duque de Caxias entre Getúlio Vargas e Brasília no bairro São Cristovão, estão inconformados com os diversos cachorros que estão espalhados pelo setor, pois

Da Redação

30 de Abril de 2010 às 16:28

Foto: Divulgação

Comerciantes e trabalhadores, onde seus respectivos ambientes de trabalho estão localizados na rua Duque de Caxias entre Getúlio Vargas e Brasília no bairro São Cristovão, estão inconformados com os diversos cachorros que estão espalhados pelo setor, pois muitos são agressivos, além de sujarem as calçadas com fezes.
Na tarde da última quinta-feira (29), a reportagem do Rondoniaovivo, compareceu até o local e fotografou cinco dos seis “cachorros vadios”. “Eles ficam por aqui e um detalhe: todos no cio. A prefeitura devia fazer alguma coisa para melhorar nossa situação. Se esses cães tiverem donos eles devem ser punidos”, disse a funcionária pública Bárbara Souza.
Entramos em contato por telefone com o Centro de Zoonose de Porto Velho (RO), para entrevistarmos o chefe do setor da Raiva Canina, Marcos Antônio, mas ele não estava no centro. Então a reportagem questionou a atendente do telefone, se seria possível encaminhar uma equipe para o bairro São Cristovão, pois na manhã desta sexta-feira (30), os animais continuavam no local e os machos do bando, brigando por uma fêmea.
A resposta foi negativa, pois de acordo com a telefonista, todas as sextas-feiras os animais recolhidos pelo Centro de Zoonoses, após serem mortos, são encaminhados para o aterro municipal. Informou também, que a ação da carrocinha é somente pela manhã, e por fim solicitou que os moradores, comerciantes e trabalhadores do local ligassem no número 3901-2878 ou 3901-2874 na próxima segunda-feira (03), logo no início da manhã. Diante da situação os cães continuam vagando pela área central de Porto Velho.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS