ESPAÇO ABERTO: Desleixo na saúde atinge também hospital Infantil Cosme e Damião

Confira a coluna de Cícero Moura

ESPAÇO ABERTO: Desleixo na saúde atinge também hospital Infantil Cosme e Damião

Foto: Divulgação

IN LOCO
 
O Conselho Regional de Enfermagem de Rondônia (Coren-RO), em parceria da Força Nacional de Fiscalização (FNFIS) do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), realizou a inspeção durante toda a manhã de ontem no Hospital Infantil Cosme e Damião.
 
PRECARIEDADE
 
Os fiscais encontraram várias irregularidades na assistência de Enfermagem. Condições como teto quebrado e com fiação exposta foram registradas, além de falta de medicamentos e profissionais em quantidade suficiente para o atendimento da demanda.
 
TRIAGEM
 
Também foi constatada falta de enfermeiro no período noturno para fazer a classificação de risco dos pacientes que chegam, e apenas um técnico de Enfermagem faz a triagem com a aferição da temperatura e peso das crianças.
 
RISCO
 
Segundo os fiscais; “Dalí, o paciente é encaminhado para o atendimento médico. Mas é necessária a classificação de risco para que sejam dadas as devidas prioridades aos pacientes maisgraves, e isso só quem pode fazer é um profissional enfermeiro”, explicaram.
 
COMPROMETIMENTO
 
Os fiscais disseram ainda que o remanejamento dos técnicos também acaba desfalcando o setor de origem, que geralmente é da equipe de medicação. O problema de falta de pessoal de Enfermagem é um dos maiores na unidade, gerando constantemente o desfalque.
 
SEM REMÉDIOS
 
Também foi identificada falta do medicamento Simeticona, que é indicado para o alívio dos sintomas no caso de excesso de gases no aparelho gastrintestinal que provoca dores ou cólicas intestinais. O problema já estaria ocorrendo há aproximadamente três meses.
 
NA JUSTIÇA
 
Outra situação que foi novamente observada nesta ação, já que a unidade responde ação civil pública movida pelo Coren-RO pelo mesmo problema, é a ala de pacientes crônicos contar apenas com dois técnicos de enfermagem para o atendimento, onde os pacientes não tem previsão de alta.
 
PERIGO
 
Na sala de emergência, um enfermeiro faz o atendimento, mas na falta do profissional, os técnicos da ala semi-intensiva acabam se revezando para atender a demanda, o que gera risco aos pacientes da ala de origem dos técnicos, que por algumas vezes acabam atendendo pacientes suspeitos com Covid-19.
 
OUTROS REMÉDIOS
 
Entre as ilegalidades, há ainda falta de omeprazol, cefalexina, luftal gotas. Algumas medicações manipuladas, não estão sendo oferecidas pelo estado, sendo arcados pelos familiares dos pacientes.
 
NEGLIGÊNCIA
 
De acordo com os fiscais tem medicação para neoplasia sendo manipulada sem a devida paramentação, como o Ganciclovir. Ele é cancerígeno e existe um POP de preparação desse medicamento, o que aqui não tem esse cuidado”, afirma um dos fiscais.
 
ANEXADO AO PROCESSO
 
Segundo a fiscal Ivana Andrade, como a unidade hospitalar já responde a um processo civil público, o relatório desse acompanhamento será formulado e anexado juridicamente. As fiscalizações da FNFIS continuam até a próxima sexta-feira (29).
 
OUTRO LADO
 
A Secretaria Estadual de Saúde disse que a direção da unidade não recebeu nenhum comunicado ou pedido de providencias por parte do Coren/RO.
 
BARREIRA
 
Não tem conversa. O governador do estado do Acre, Gladson Cameli, solicitou ao Governo Federal o fechamento das fronteiras com a Bolívia e Peru, além da divisa com os estados do Amazonas e Rondônia. 
 
PREVENÇÃO
 
De acordo com o governador, o motivo é o avanço da nova variante do Coronavírus. Cameli diz que não quer ver seu Estado chegar ao colapso registrado em Rondônia e no Amazonas.
 
SENSATO
 
Uma atitude firme, mas sensata. Se todos os governadores tivessem mantido uma postura austera punindo de verdade quem promove aglomerações, o país não estaria na situação em que está.
 
CHORUMELA
 
E nem adianta fakes e puxa-sacos mandarem mensagens com a conversa mole de que a economia não pode parar. A vida e a saúde são os bens mais preciosos e estão acima de qualquer coisa.
 
OUTRO ALVO
 
A guerra das empresas de maquininhas de cartão mudou de foco. O tempo em que a disputa era sobre quem oferecia a menor taxa de desconto ou dava mais desconto na compra de maquininhas ficou para trás. Agora, a competição acontece na oferta de crédito e serviços.
 
ECONOMIA
 
O Federal Reserve deixou hoje sua principal taxa de juros perto de zero e não fez nenhuma alteração em suas compras mensais de títulos, prometendo novamente manter esses pilares econômicos em curso até que haja uma recuperação completa da recessão provocada pela pandemia.
 
NA CONTRAMÃO DA CRISE
 
Com a baixa taxa de juros e a busca por conforto no lar, os financiamentos imobiliários encontraram o cenário perfeito para crescimento. Segundo a Abecip, os financiamentos com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo tiveram o melhor resultado desde 2014, chegando a quase R$ 124 bilhões.
 
INTERNET
 
Quem trabalhou de casa ao longo do ano passado inevitavelmente enfrentou dias em que a conexão estava instável. Como reflexo dessa realidade, a Anatel recebeu 764 mil queixas sobre banda larga, 31,6% a mais do que em 2019.
 
INTERNET 2
 
Quem mora em Porto Velho não tem nem banda fina. Passou a ponte do rio Madeira esqueça sinal de internet. Aliás, nem sinal de telefone existe. 
 
SAGA VEÍCULOS
 
É impressionante o descaso da empresa em relação ao atendimento telefônico para quem tenta entrar em contato com as concessionárias na capital. O telefone fixo é atendido por um robô indefectível e ao clicar na opção desejada, o cliente dorme esperando que alguém atenda.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS