ESPAÇO ABERTO: Cristiane Lopes não ganhou mas leva bagagem para nova disputa em 2022

Confira a coluna de Cícero Moura

ESPAÇO ABERTO: Cristiane Lopes não ganhou mas leva bagagem para nova disputa em 2022

Foto: Divulgação

PORTAS ABERTAS
 
Tem um ditado que diz: quem não é visto não é lembrado. Essa frase se aplica, e muito, ao sucesso da vereadora Cristiane Lopes nas urnas, embora não tenha ganho a eleição.
 
AVISO
 
Antes mesmo de qualquer outro candidato confirmar que iria disputar a prefeitura de Porto Velho, Cristiane Lopes já havia se antecipado. Se apresentou como candidatíssima à prefeitura representando o PP.
 
MARKETING
 
Ela não fez campanha antecipada, mas conseguiu fazer chegar ao conhecimento das pessoas que era candidata à prefeita. A iniciativa também era um aposta do PP na capital. Ter uma mulher na disputa e usar isso como um diferencial.   
 
APOSTA
 
Cristiane tinha uma prova de fogo para se fazer autoridade junto ao grupo político dos Cassol. Era um desafio, e ela soube dar conta do recado com muito êxito.
 
CURRÍCULO POLÍTICO
 
Cristiane, uma desconhecida na política que só tinha de popularidade um programa na TV, se candidatou à vereadora e se elegeu com 2887 votos. Foi a décima candidata mais votada no pleito de 2016.
 
NOVA TENTATIVA
 
Como deu certo disputar o cargo de vereador, dois anos depois Cristiane entrou em nova disputa. Agora para uma vaga de deputada federal. Não se elegeu, mas conseguiu uma façanha. Fez mais de 20 mil votos, superando políticos tradicionais e experientes como Marinha Raupp, do MDB, que fez pouco mais de 18
mil votos.
 
VÔOS MAIS ALTOS
 
A excelente votação para Federal deu confiança à Cristiane Lopes que resolveu ser ainda mais ousada. Se ofereceu para representar o PP na eleição de prefeito e conseguiu outro feito. Fez mais de 92 mil votos no segundo turno.
 
DIFERENÇA
 
Se for analisada a diferença de 17 mil 977 votos para o candidato Hildon Chaves, Cristiane conseguiu representar muito bem o Progressistas. Sem nenhum currículo como gestora pública, a candidata perdeu por pouca diferença se for levado em conta o universo de mais de 300 mil eleitores da capital.  
 
MAIS OUTRA ELEIÇÃO
 
Cristiane não antecipa nada sobre o futuro, mas é mais do que provável que vai usar o excelente desempenho nas urnas para garantir um lugar ao Sol, ou na Assembleia, nas  próximas eleições. 
 
PRESTÍGIO
 
Os advogados Juacy Santos Loura Jr. (Loura & Almeida Advogados Associados) e Manoel Veríssimo Ferreira Neto (Veríssimo Advogados Associados),
encerram o pleito de forma bastante positiva. Ambos atenderam mais de duas dezenas de legendas partidárias em todo o estado, desde o Cone Sul até Guajará-Mirim.
 
PARCERIA
 
Com a criação do Loura, Almeida e Ferreira Neto advogados), Juacy e Manoel tiveram participação direta na eleição de mais de 100 vereadores, 12 prefeitos e 6 vice-prefeitos em todo estado, além de assessorar a candidata Cristiane Lopes (PP) que chegou ao segundo turno das eleições na Capital.
 
ATUAÇÃO DIFERENCIADA
 
Numa eleição marcada pelo fim das coligações para os cargos proporcionais e, em especial, pela desconfiança de como seria o pleito em virtude da pandemia, o gerenciamento de ações judiciais eleitorais foi determinante para eleição de uns e derrota de outros.
 
DEFERIMENTO
 
Segundo Manoel Veríssimo, a equipe de trabalho conseguiu fazer com que a Justiça Eleitoral mandasse retirar do ar pesquisa de um dos mais renomados institutos de pesquisas do Brasil. Isso demonstra o cuidado e eficiência de uma ação bem elaborada, enfatiza Veríssimo.
 
DESAFIO
 
Para Juacy ,“o gerenciamento dos prazos dentro dos processos eleitorais levando em conta a inauguração da plataforma do Processo Judicial Eletrônico para as ações eleitorais desde o primeiro grau, e outras tecnologias da própria da Justiça Eleitoral, foi instigante e ao mesmo tempo desafiador”. 
 
QUALIDADE
 
Juacy e Manoel ressaltam que a junção de forças e conhecimento jurídico permitiram que fossem encaminhados para à Justiça Eleitoral pleitos no sentido de tornar mais isonômico o processo, seja nas demandas em que foram representantes dos autores, bem como noutras que tiveram que auxiliar na defesa de seus constituintes.
 
DESLIGADO
 
Falta de aferição e energia atrasam instalação de novos radares eletrônicos em Rondônia. Os equipamentos que deveriam começar a funcionar essa semana só devem começar a fiscalizar no fim de dezembro e em março do ano que vem.
 
ENERGIA E LEGALIDADE
 
De acordo com o Superintendente do DNIT em Rondônia, André Lima, a Energisa não fez a ligação da rede elétrica até os aparelhos. Além disso, os radares também ainda não foram aferidos  pelo Instituto de Pesos e Medidas de Rondônia (Ipem).
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS