LITERATURA: Após pausa de 10 anos, Coleção Vaga-Lume ressurge e lança seu segundo volume

Escrito pelo vencedor de dois Jabutis Luiz Antonio Aguiar, “Os marcianos” traz a temática da exploração de outro planeta

LITERATURA: Após pausa de 10 anos, Coleção Vaga-Lume ressurge e lança seu segundo volume

Foto: Divulgação

Lançada em 1970, a Coleção Vaga-Lume fez parte da infância e adolescência de muitos brasileiros. Após uma pausa de mais de 10 anos para reformulação gráfica, a Editora Ática retomou seus lançamentos no ano passado com o livro “Ponha-se no seu lugar!”, de Ana Pacheco, pelo qual já recebeu o Prêmio Mérito Literário no concurso Amare Livros, promovido pelo Festival Literário Internacional de Poços de Caldas – Flipoços, e o selo Distinção Cátedra 10, oferecido pela Cátedra Unesco de Leitura da PUC-Rio. 
 
 
Agora, a editora dá continuidade à coleção em 2021 com Os marcianos, escrito pelo carioca Luiz Antonio Aguiar e com capa ilustrada pela dupla pernambucana que assina Sapo Lendário.
 
 
Vencedor de dois prêmios Jabutis, Aguiar traz toda sua bagagem como escritor nessa nova obra, na qual percebemos o estilo de ficção cientifica já de antemão no título. A história se passa no futuro, em uma Colônia em Marte. Quase nada se sabe sobre o que antecedeu essa situação, já que o Manual criado pelo comitê educacional local não permite a viagem por águas passadas: “Marte é nosso presente e futuro; o passado, o Planeta Natal, extirpado de nossas vidas, foi a Terra”.
 
 
O protagonista Zás e seus amigos Beca e D.K.O. não se contentam com tal restrição e vão em busca de respostas sobre os primórdios da ocupação do Planeta Vermelho numa trajetória cheia de anéis tubulares, estações espaciais, esferas douradas, astronaves, escavações arqueológicas e muito mais. Com 216 páginas, a leitura flui de maneira leve e divertida, enquanto o leitor se distrai com os enigmas propostos pela história.
 
 
O ambiente inóspito de Marte, a organização da colônia, a memória distante de uma vida no planeta Terra e as tecnologias avançadas apresentam um universo distante da realidade presente do público juvenil, mas repleto de conflitos e situações com as quais eles irão se identificar: Os marcianos também percorre questões sobre censura, agorafobia e reclusão de jovens por conta da tecnologia, além de ser repleto de referências históricas, geográficas e literárias.
 
 
Sobre o autor
 
 
Luiz Antonio Aguiar recebeu prêmios no Brasil e no exterior, inclusive dois Jabutis: em 1994, com Confidências de um pai pedindo arrego, e em 2013, com Os anjos contam histórias. Mestre em Literatura, pela PUC-RJ, concluiu com uma dissertação sobre Leitura Literária na Cultura de Massas, um dos seus principais focos de interesse: os clássicos da Literatura e sua influência decisiva na literatura pop, como acontece em gêneros como terror, fantasia, aventura, suspense e mistério. O autor é ainda roteirista de histórias em quadrinhos, com textos originais e adaptações de clássicos da Literatura em HQ, como O Alienista, de Machado de Assis, Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, e Senhora, de José de Alencar – este último, lançado pela Ática em 2020, recebeu o selo Clássicos Cátedra 10, prêmio oferecido pela Cátedra Unesco de Leitura da PUC-Rio para as melhores reformulações de clássicos da literatura.
 
 
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS