BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Cauan: antes da Covid, tinha dificuldade de amar até os filhos

Recém saído da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Anis Rassi, em Goiânia, ele revelou que a experiência deu a ele a oportunidade de reconstruir a própria história

CORREIO BRAZILIENSE

26 de Agosto de 2020 às 10:40

Atualizada em : 26 de Agosto de 2020 às 10:43

Foto: Divulgação

O sertanejo Cauan, internado desde 12 de agosto por conta de complicações da COVID-19, abriu o coração, na manhã desta terça-feira (25/8), durante uma entrevista ao programa Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo.
 
Recém saído da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Anis Rassi, em Goiânia, ele revelou que a experiência deu a ele a oportunidade de reconstruir a própria história. "Posso dizer que Deus me deu uma segunda chance. Já estava buscando melhorar algumas coisas na minha vida um pouco antes de ser infectado, a questão da arrogância e da insensatez", disse.
 
Para Cauan, essa foi uma oportunidade para a “cura da alma”, o que o cantor já havia dito em vídeo publicado nas redes sociais dele na segunda-feira (24). “Por ficar esse tempo todo na UTI, sem poder me mexer, nem sair da cama para tomar banho, senti essa força dentro de mim. Comecei a ser outra pessoa, comecei a melhorar na UTI, mesmo com os exames não dizendo isso”, declarou o artista.
 
Quando questionado por Fátima Bernardes sobre as mudanças que a experiência com a doença traria para a vida pessoal, Cauan contou que mudaria o jeito de lidar com as pessoas e que, antes, não sabia o que era o amor. “Eu costumo dizer que não amava nem meus filhos direito. Agora que eu sei o que é o amor pelo próximo, pelas pessoas, pela família. É até chato falar uma coisa dessas, são duas crianças abençoadas”, confessou o sertanejo.
 
Ele explicou ainda que viu muitas pessoas orarem por ele de madrugada e que não considerava ser merecedor de tamanha homenagem. “Eu quero agradecer as pessoas, eu não mereço uma coisa dessas, por causa do tanto de coisa ruim que a gente já fez. Eu tive técnicas de enfermagem que cuidaram de mim como se eu fosse filho delas”, comentou.
 
Muito emocionado, o cantor admitiu que zombou do coronavírus, mas disse que se arrepende das brincadeiras com a doença. "Deus é maravilhoso e fez uma obra muito grande na minha vida. O meu irmão, médico, é um anjo, os enfermeiros são anjos, eu só tenho a agradecer", finalizou, emocionado.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS