RELATÓRIO: Grupos neonazistas articularam atos golpistas, revela Abin

Supremacistas brancos se uniram com bolsonaristas que fecharam estradas e acamparam na frente de quartéis do exército

RELATÓRIO: Grupos neonazistas articularam atos golpistas, revela Abin

Foto: Manifestantes golpistas fazem gesto nazista / Reprodução via Governo Federal

Um relatório da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), divulgado nesta quarta (30) pelo jornal O Globo, revela que supremacistas brancos - que participavam de quadrilhas neonazistas - se associaram aos movimentos golpistas espalhados pelo país após o resultado das eleições de 2022.
 
De acordo com a publicação, a Abin apurou cinco grupos neonazi no aplicativo de mensagens Telegram. No total, 2.800 membros foram identificados. O objetivo dos grupos era estimular o golpismo e deslegitimar as instituições, segundo o órgão.
 
O relatório da Abin foi feito entre 25 de novembro e 1° de dezembro de 2022. Este período foi marcado pelo crescimento gritante de movimentos bolsonaristas que fechavam estradas e ocupavam QGs do Exército, que exigiam golpe de estado e estimulavam ataques contra a democracia por conta da vitória de Lula (PT).
 
Até o início de 2022, grupos neonazistas vinham crescendo no Brasil. Estimulados pelo discurso de ódio em expansão no país, por conta da ascensão da extrema-direita. Estes grupos criminosos cresceram mais de 270%, desde 2019, segundo um estudo da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).
 
 
FOTO: Material de grupo neonazista e supremacista apreendido em operação da Polícia Civil do RS feita em parceria com a Abin — Foto: Reprodução/ Polícia Civil do RS
 
 
De acordo com a Abin, após as eleições de 2022 houve um aumento do engajamento dos grupos. 
 
“Até o pleito eleitoral de 2022, não se identificava histórico de envolvimento sistemático de grupos supremacistas e neonazistas com pautas políticas e manifestações. Apesar disso, em monitoramento de grupos virtuais utilizados para disseminação de conteúdo supremacista na conjuntura eleitoral, observou-se aumento da interação e da visualização”, diz o relatório.
 
Ainda de acordo com o relatório da agência de inteligência, os grupos neonazistas levantavam suspeitas, sem provas, de fraude nas urnas, apoiaram os bloqueios em estradas e espalharam panfletos fazendo referência à “luta contra comunistas”.
 
* Com conteúdo de O Globo
Direito ao esquecimento
Qual loja você acha que deve receber a nova Estátua da Liberdade da Havan?
Como você avalia a gestão do prefeito Lezão em Rio Crespo?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS