COVID-19: São Paulo terá toque de recolher das 23h às 5h a partir de sexta-feira

O estado tem quase dois milhões de casos confirmados ne Covid-19 e mais de 58 mil mortes pela doença

COVID-19: São Paulo terá toque de recolher das 23h às 5h a partir de sexta-feira

Foto: Divulgação

 

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (24) a implantação do toque de recolher para todas as cidades do estado das 23h às 5h entre os dias 26 de fevereiro e 14 de março para tentar conter o avanço da pandemia de Covid-19.
 
Dado o fato de que chegamos a um recorde de internações de Covid-19 no sistema hospitalar do estado de São Paulo, o governo, atendendo expressa recomendação do centro de contingência, decreta a restrição de circulação de pessoas”, disse o governador do estado, João Doria (PSDB/SP).
 
Segundo o tucano, “não há satisfação” em aplicar a medida, mas há uma “necessidade de proteger vidas” porque “sem vidas não há consumo, mortos não consomem, mortos penalizam famílias e entristecem cidades, regiões e o país”.
 
Os dados do governo apontam que há 6,5 mil pessoas internadas nos hospitais, um recorde desde o início da crise sanitária em fevereiro do ano passado.
 
O coordenador do centro de contingência paulista, Paulo Menezes, atribuiu à alta nas internações ao período de festas do Carnaval, mesmo que “maioria da população atendeu ao nosso pedido” de não fazer aglomerações.
 
 
“Na última semana, estamos observando um número importante de novas internações no estado de São Paulo. Na semana epidemiológica de 6 para 7 houve um aumento de 5% e nas semanas 7 para 8 houve um aumento de quase 10%”, explicou Menezes.
 
No caso das hospitalizações em unidades de terapia intensiva (UTI), nos últimos 10 dias, houve um aumento progressivo “batendo sucessivos recordes”, com 660 pessoas internadas a mais no período.
 
Durante a coletiva, Doria ainda fez um apelo para que o governo compre mais vacinas tanto das duas aprovadas atualmente – da Sinovac, produzida pelo Instituto Butantan, e da Universidade de Oxford/AstraZeneca, que será produzida pela Fundação Oswaldo Cruz, como de outras farmacêuticas já disponíveis.
 
Doria ainda confirmou a entrega de mais 900 mil doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde nesta quarta-feira e, até 5 de março, serão 15,4 milhões doses já entregues. A previsão até abril é de 46 milhões de doses.
 
O estado tem quase dois milhões de casos confirmados ne Covid-19 e mais de 58 mil mortes pela doença (ANSA).
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS