BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

ESPERANÇA: 'Em janeiro a gente começa a vacinar todo mundo', diz Pazuello

"Estamos fazendo contratos com quem fabrica as vacinas. Esse é o plano", disse

EM.COM.BR

08 de Setembro de 2020 às 16:25

Atualizada em : 08 de Setembro de 2020 às 16:28

Foto: Divulgação

 

EM.COM.BR - Durante a reunião ministerial nesta terça-feira (8), o presidente Jair Bolsonaro levou uma youtuber mirim para fazer perguntas aos ministros. O vídeo foi disponibilizado nas redes sociais do presidente e maioria dos membros aparece sem máscara, assim como Bolsonaro.
 
No microfone do chefe do Executivo, Esther Castilho, de 10 anos, indagou o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre as vacinas contra o coronavírus. O general voltou a dizer que a previsão é de que as mesmas estejam disponíveis a partir de janeiro.
 
"Estamos fazendo contratos com quem fabrica as vacinas. Esse é o plano. Está previsto que a vacina chegue para nós em janeiro. A partir de janeiro a gente começa a vacinar todo mundo", declarou.
 
Economia
 
Esther também questionou ministros sobre as altas nos preços do gás e do arroz. Ela reclamou inicialmente para o ministro de Energia, Bento Albuquerque sobre o preço do gás. Prontamente, o mesmo disse que a pergunta deveria ser feita ao ministro da Economia, Paulo Guedes.
 
"O preço do gás vai abaixar ou vai aumentar mais? Explica ai", questionou ela direcionando a Guedes.
 
O ministro respondeu: "Com a ajuda do ministro Bento, nós estamos aprovando a lei do gás natural e aí vamos dar um choque de energia barata. Esperamos que o gás caia de 20% a 30% pelo menos".
 
A menina rebateu: "Então tá bom. Eu espero isso, porque lá Lá em Ribeirão Preto está quase R$ 90 gente, pelo amor de Deus, né?".
 
Ela questionou ainda a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, sobre a alta do preço do arroz. "Tereza Cristina, o arroz vai aumentar ou vai abaixar?". A ministra do Mapa respondeu: "O arroz não vai faltar. Agora ele está alto, mas nós vamos fazer ele baixar. Se Deus quiser, vamos ter uma supersafra ano que vem", apontou.
 
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS