RESULTADO: Bioinseticidas têm sido eficazes no controle da lagarta do milho

Pesquisas da empresa demonstram que insumos microbiológico e macrobiológico têm eficácia equivalente à de inseticidas químico

RESULTADO: Bioinseticidas têm sido eficazes no controle da lagarta do milho

Foto: Divulgação

 

A efetividade de insumos biológicos de ponta sobre a lagarta Spodoptera frugiperda, mais conhecida como lagarta-do-cartucho, na cultura do milho, é alvo de uma ação da Promip voltada a produtores do grão. Conforme a empresa, além do milho, essa lagarta chegou a mais de 180 cultivos e se consolida, safra após safra, entre as pragas mais desafiadoras da agricultura.
 
Focada no desenvolvimento de defensivos agrícolas ativados por agentes microbiológicos (vírus, bactérias e fungos) e macrobiológicos (ácaros, insetos e nematoides), para manejo de pragas na agricultura, a Promip lançou recentemente uma solução 100% natural indicada ao manejo da Spodoptera frugiperda: o bioinseticida de marca Baculomip® SF.
 
Conforme a área de pesquisa & desenvolvimento da empresa, se não for estrategicamente controlada, a lagarta-do-cartucho é capaz de dizimar em torno de 60% de uma lavoura. Somente para combater à praga, acrescenta a Promip, produtores de milho desembolsam em torno de US$ 600 milhões ao ano com inseticidas químicos.
 
 
 
Controle biológico
 
Engenheiro agrônomo, entomologista e CEO da Promip, Marcelo Poletti ressalta que o novo produto é formulado com base no isolado do vírus entomopatogênico Spodoptera frugiperda multiplenucleopolyhedrovirus (SfMNPV), descrito como ‘baculovírus’. “Esse agente biológico age sobre a lagarta-do-cartucho por ingestão”, resume Poletti. O vírus SfMNPV é fornecido pela Embrapa Milho e Sorgo.
 
Poletti acrescenta ainda que a tecnologia atrelada ao bioinseticida Baculomip® SF, empregada corretamente, entrega a produtores de milho, e de outras culturas, eficácia equivalente à obtida no manejo químico, por inseticidas sintéticos ‘premium’, frente à Spodoptera frugiperda.
 
“Avaliamos em profundidade, também, os efeitos de Baculomip® SF associado ao bioinseticida Trichomip®, de nosso portfólio”, revela Poletti. Segundo ele, Trichomip® constitui uma tecnologia de matriz macrobiológica resultante da vespinha Trichograma pretiosum, que impede a eclosão de ovos da Spodoptera frugiperda (ação ovicida). “Em conjunto, os bioinsumos potencializam efetividade no controle da lagarta-do-cartucho.”
 
De acordo com Poletti, num dos campos experimentais de milho que antecederam o lançamento de Baculomip® SF – os testes cobriram 23 municípios da fronteira agrícola -, a ação combinada com Trichomip® aumentou a produção em quatro sacas, resultado atribuído ao controle médio de 50% da população da Spodoptera frugiperda. “Nenhum dos campos foi alvo de desenvolvimento de resistência da praga aos dois biológicos”, ressalta ele.
 
“A aplicação alternada desses biológicos a um grupo de inseticidas químicos, menos exposto à lagarta-do-cartucho, tracionou os indicadores médios de controle da praga, em áreas específicas, para aproximadamente 80% da população de lagartas”, finaliza Poletti.
Direito ao esquecimento

Qual você acha que será o resultado do jogo entre Brasil e Croácia na sexta-feira (09)?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

A da S Coelho EIRELI

R Q Passos LTDA

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS