ON-LINE: Uvas de mesa são tema de palestra técnica na próxima terça-feira (27)

A palestra será uma oportunidade para os interessados conhecerem ou se atualizarem neste setor da fruticultura

ON-LINE: Uvas de mesa são tema de palestra técnica na próxima terça-feira (27)

Foto: Divulgação

Em prosseguimento à Capacitação em Fruticultura Tropical, coordenada pela Embrapa Cerrados (DF), será realizada, na próxima terça-feira (27) às 9h, a palestra técnica on-line “Uvas de mesa: cultivares, sistemas de produção e mercado”, com João Dimas Garcia Maia, pesquisador da Embrapa Uva e Vinho (Bento Gonçalves, RS), com transmissão pelo canal da Embrapa no YouTube.
 
A palestra será uma oportunidade para os interessados conhecerem ou se atualizarem neste setor da fruticultura, que está em expansão no Brasil. “Estamos acompanhando um movimento interessante no mercado, que é a troca das cultivares com sementes, do grupo Itália, por uvas sem semente, especialmente com sabores diferenciados como a BRS Vitória”, comenta Dimas, que é um dos coordenadores do Programa de Melhoramento Genético “Uvas do Brasil”.
 
O pesquisador antecipa que é importante o produtor conhecer as opções e entender como o mercado consumidor está funcionando para aproveitar a sazonalidade interna, aumentando assim a sua competitividade ao escalonar a sua produção, oferecendo diferentes alternativas entre cultivares com e sem sementes finas e as rústicas, como a tradicional Niágara.
 
Dimas complementa que além de considerar o mercado e as cultivares, a escolha do melhor sistema para a realidade da propriedade é outro fator de sucesso no cultivo de uvas de mesa.
 
Segundo Fábio Faleiro, chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Cerrados, a demanda por ações de pesquisa, inovação e transferência de tecnologia sobre o cultivo da uva na região do Cerrado tem aumentado de forma significativa, particularmente na região do Distrito Federal e no Entorno, formado por municípios de Minas Gerais e Goiás, vizinhos da capital federal. 
 
Para atender a essas demandas de forma mais rápida e dinâmica, contamos com a parceria da Embrapa Uva e Vinho, além da Emater-DF, da Emater Goiás e da Emater-MG, para levar as tecnologias disponíveis aos produtores”, afirma, acrescentando que já existem experiências de sucesso do cultivo da uva de mesa e para o processamento de vinho e sucos no Cerrado. “Por meio das parcerias com as unidades da Embrapa, a Emater e os fruticultores, vamos conseguir potencializar o cultivo da uva no Cerrado”, projeta.
 
Marcos Botton, chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Uva e Vinho, lembra que o centro de pesquisas de Bento Gonçalves tem historicamente apoiado o desenvolvimento da cultura da videira nas diferentes regiões produtoras. “Nos últimos anos, essa demanda tem sido ampliada devido ao interesse dos produtores, técnicos e consumidores que estão descobrindo a riqueza do terroir brasileiro para produção de uvas e produtos derivados”, explica.
 
Ele aponta que a Embrapa dispõe de material genético e tecnologias que permitem aos produtores implantar e consolidar a cultura vitivinícola, permitindo a geração de emprego e renda nas diferentes regiões brasileiras. “Mas para que isso ocorra de forma sustentável, um trabalho em parceria entre os diferentes atores é fundamental, e, no momento, esse movimento está ocorrendo na região do Distrito Federal e Entorno”, ressalta.
 
Sobre a capacitação
 
A palestra integra uma série de 17 temas da Capacitação em Fruticultura Tropical. Ao longo deste ano e até fevereiro de 2022, a cada 14 dias, sempre às terças-feiras às 9h, será realizada uma palestra com pesquisadores de diversas unidades da Embrapa, com a participação de técnicos, extensionistas e especialistas da Emater-DF, da Emater Goiás, e da Emater-MG e das demais instituições parceiras. Os conteúdos ficarão disponíveis no canal da Embrapa no YouTube. 
 
A iniciativa tem a contribuição de profissionais da pesquisa, extensão rural e ligados às políticas públicas. Além disso, conta com o apoio da Rota da Fruticultura da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride), uma das Rotas de Integração Nacional, idealizadas pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), com o objetivo de profissionalizar a cadeia produtiva da fruticultura, integrando os subsistemas de insumos, produção, extrativismo, processamento e comercialização por meio da criação de sistemas agroflorestais, agroindustriais e de serviços especializados.
 
Participam a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), além de órgãos de extensão rural, associações e entidades locais.
 
Os temas das palestras foram definidos a partir de prospecção realizada pela Embrapa Cerrados (DF) e pela Emater-DF, com apoio da Emater-MG, Emater-GO e da Rota da Fruticultura, que buscou identificar as culturas mais importantes visando à elaboração de políticas públicas para o desenvolvimento regional com a melhoria das condições de vida de produtores rurais do segmento na região do Cerrado.
 
São elas: maracujá, banana, manga, abacate, graviola, frutas nativas do Cerrado, mamão, citros, pitaya, abacaxi, goiaba, uva de mesa, uva para vinho e suco, frutas vermelhas, frutas temperadas em ambientes tropicais, mercado de frutas frescas e agroindústria e cultivo orgânico de frutas.
 
Durante a Rota da Fruticultura, os técnicos da Emater-DF, da Emater-MG e da Emater Goiás realizarão visitas técnicas a propriedades com experiência de sucesso em cada tema abordado nas palestras. Em função da pandemia da Covid-19, as visitas não serão abertas ao público em geral, mas estão sendo registradas em vídeos que serão disponibilizados na página da Embrapa Cerrados e nos canais da Rota da Fruticultura RIDE-DF e da Emater-DF no YouTube.
 
Outras palestras
 
A primeira palestra técnica da Capacitação teve o tema “Maracujá: cultivares, sistemas de produção e mercado”, e foi realizada em 15 de junho pelo pesquisador Fábio Faleiro, da Embrapa Cerrados. A segunda foi “Citros: do plantio à colheita”, ministrada pelo pesquisador Eduardo Augusto Girardi, da Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas, BA) em 29 de junho. A terceira, “Mercado e a comercialização de frutas frescas e processadas”, de Ana Maria Costa, pesquisadora da Embrapa Cerrados, foi apresentada no último dia 13. 
 
Também já estão agendadas as seguintes palestras, sempre às 9h:
 
“Uvas para vinho e suco: mercado, agregação de valor e perspectivas” - Giuliano Elias Pereira - 10 de agosto
 
“Frutas vermelhas: sistema de produção de morango, mirtilo e amora-preta” - Luis Eduardo Corrêa Antunes (Embrapa Clima Temperado) – 24 de agosto
 
“Fruteiras temperadas: sistema de produção em ambiente tropical” - Paulo Roberto Coelho Lopes (Embrapa Semiárido) – 7 de setembro
 
“Cultivo orgânico: sistemas de produção na fruticultura” - Raul Castro Carriello Rosa (Embrapa Agrobiologia) – 21 de setembro
 
“Fruteiras nativas: sistemas de produção” - Ailton Vitor Pereira (Embrapa Cerrados) – 5 de outubro
 
“Banana: cultivares, sistemas de produção e mercado” - Edson Perito Amorim (Embrapa Mandioca e Fruticultura) – 19 de outubro
 
“Abacate: instruções técnicas para cultivo comercial” - Tadeu Graciolli Guimarães (Embrapa Cerrados) – 2 de novembro
 
“Goiaba: instruções técnicas para cultivo comercial” - Tadeu Graciolli Guimarães (Embrapa Cerrados) – 16 de novembro
 
“Pitayas: melhoramento genético e sistemas de produção” - Fábio Gelape Faleiro (Embrapa Cerrados) – 30 de novembro
 
“Abacaxi: cultivares, sistemas de produção e mercado” - Aristóteles Pires de Matos – Embrapa Mandioca e Fruticultura) – 14 de dezembro
 
“Manga: instruções técnicas para cultivo comercial” - Tadeu Graciolli Guimarães (Embrapa Cerrados) – 18 de janeiro de 2022
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS