BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

PAA: Mulheres representam 80% dos fornecedores de produtos

Estudo da Conab mostra que a ação feminina no Programa de Aquisição de Alimentos vem aumentado nos últimos anos

GOV.BR

16 de Novembro de 2020 às 13:42

Atualizada em : 16 de Novembro de 2020 às 13:43

Foto: Divulgação

 

GOV.BR - Aagricultora familiar Marcia Aparecida de Souza nasceu e cresceu em família de agricultores. Na idade adulta, foi morar na cidade para estudar, onde fez mestrado em agronegócio. Hoje, ela mora no núcleo Rural Buriti Vermelho, no Paranoá (DF), e é gestora da Cooperativa Cooper-Horti com 33 cooperados, sendo 30 homens. Ela produz 4 hectares no Distrito Federal e 15 hectares no estado de Goiás, com a plantação de hortaliças, como alfaces e tomates. 

 
“Nós, mulheres, estamos sempre quebrando barreiras. Eu vejo as mulheres mais como gestoras das propriedades. A agricultura ainda é um ambiente dominado pelos homens, mas a participação das mulheres é crescente e isso se confirma a cada dia”, destaca Marcia. 
 
A agricultora é um exemplo do crescimento da participação feminina na agricultura familiar. A presença feminina nas modalidades do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) alcançou 4.701 mulheres em 2019, o que representa 80% de participação, de acordo com levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). 
 
Os dados fazem parte da publicação Agricultura Familiar: Programa de Aquisição de Alimentos - PAA: Resultados das Ações da Conab em 2019. Segundo Marisson de Melo Marinho, superintendente de suporte à agricultura familiar da Conab, a participação da mulher tem aumentado ao longo dos anos. 
 
“A partir de 2016, critérios mais claros favoreceram cooperativas e associações da agricultura familiar administradas e com participação de mulheres. Essas ações permitiram que, em 2019, o número de mulheres no PAA chegasse a 80%, maior percentual de mulheres participantes”, afirmou. Ele acrescenta que é “um recorde que fortalece a participação das mulheres no PAA, o programa que capacita agricultoras familiares e suas organizações para acessar o mercado”, comentou Marinho. 
 
O incentivo à maior inclusão feminina no PAA começou a fazer parte das políticas públicas voltadas ao pequeno agricultor a partir de 2011, quando foi instituído como um dos critérios de priorização na seleção e execução do programa a participação mínima de 40% de mulheres como beneficiárias fornecedoras na modalidade de Compra com Doação Simultânea (CDS) e 30% na de Formação de Estoque (CPR-Estoque). 
 
“Esta participação revela que a capacidade produtiva das organizações compostas por mulheres tem se fortalecido e minimizado os problemas de comercialização de seus produtos, além de valorizar a mão de obra feminina e de garantir sua autonomia econômica. Ressalta-se ainda que o fortalecimento do trabalho das mulheres no campo implica também a consolidação da segurança alimentar de suas famílias”, aponta o estudo. 
 
Número de agricultores familiares participantes do PAA, por categoria e sexo, em 2019
 
 
Crescimento 
 
O estudo mostra um aumento na participação das mulheres no PAA. Em 2011, quando foi instituído como um dos critérios de priorização na seleção e execução do programa, a participação mínima de 40% de mulheres como beneficiárias fornecedoras, apenas 27% das mulheres participavam do PAA. Em 2016, quando consolidou a valorização de sua mão de obra, o aumento da renda e a garantia de sua inserção socioeconômica, alcançou 57%. 
 
O estudo da Conab aponta que a maior parcela de participação das mulheres, por região em 2019, concentra-se no Sudeste (88%), seguida pelo Nordeste (84%), Centro-Oeste (80%), Norte (67%) e Sul (65%). Em relação à renda média anual, a maior remuneração ocorreu no Centro-Oeste, R$ 7.033,87, e a menor na Região Sul, R$ 6.619,70.
 
Por meio do PAA, agricultores, cooperativas e associações vendem seus produtos para órgãos públicos e os alimentos são destinados a pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional, à rede socioassistencial, aos equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional e à rede pública e filantrópica de ensino.  Os recursos são oriundos do Ministério da Cidadania.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

MP obtém liminar para que Energisa forneça energia de qualidade

MP obtém liminar para que Energisa forneça energia de qualidade

O Ministério Público também relata que, conforme informado pelo Procon local, somente em relação ao Município de Ariquemes, a quantidade de reclamações em aberto contra a empresa atingiu o total de 514, no período de 1º de janeiro de 2019 a 14 de novembro do mesmo ano.

23 de Novembro de 2020 às 08:53