BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

PATRIMÔNIO DESTRUÍDO: Hildon não cumpre promessa e acervo da EFMM corre risco

A área vem sofrendo seguidos desmoronamentos e tem causado questionamentos por parte da comunidade

Rondoniaovivo - João Paulo Prudêncio

03 de Setembro de 2019 às 09:08

A queda de uma máquina escavadora PC que realizava serviço à margem do rio Madeira, na área que compreende o sítio histórico da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, trouxe novamente o questionamento sobre qual é a real situação da margem direita do rio Madeira dentro do perímetro de Porto Velho.

 

 

Essa área vem sofrendo seguidos desmoronamentos e atualmente tem sua obra de revitalização tocada pelo consórcio Santo Antônio Energia, que de acordo com entidades ligadas à defesa da EFMM e seu complexo histórico, não está cumprindo com as recomendações feitas pelo Desembargador Federal, Souza Prudente.

 

 

Recentemente, uma máquina escavadeira que fazia trabalhos no complexo da EFMM, quase foi engolida pelo rio devido ao desbarrancamento

 

As recomendações do Agravo de Instrumento do desembargador Federal Souza Prudente do TRF1, caso cumpridas conservariam e preservariam todo o patrimônio histórico da ‘Ferrovia do Diabo’, beneficiando, o Complexo e a Vila Ferroviária. Além dos casarões e as malhas férreas em torno dos bens tombados pela União federal.

 

Representantes de entidades que defendem a preservação da história de Rondônia, estão vendo com desconfiança os serviços de revitalização feitos pela Santo Antônio Energia. Eles denunciam que não foram chamados para discutir o projeto de recuperação que está ocorrendo no local.

 

"Até o momento   nenhuma entidade veio a público falar dos atos de “revelia” que a SAE está tocando dentro de um patrimônio tombado que é a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Onde deveria ser um projeto de contenção para salvaguardar o bem tombado mais valioso do nosso estado. A pergunta é: onde estão o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia(CREA)? O Conselho de Arquitetura e Urbanismo(CAU)? O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional(IPHAN)?  A Superintendência do Patrimônio da União? Ministérios Públicos? Precisamos de uma resposta para esses desmandos que vem sendo praticados pela Santo Antonio Energia", questionam os ativistas.

 

Hildon Prometeu

 

No dia 3O de outubro de 2018, o prefeito Hildon Chaves esteve no mesmo ponto que há aproximadamente um mês desmoronou de forma repentina, assustando a comunidade e colocando o espaço em risco. Ele fez um vídeo sobre a revitalização do local.

 

Naquele dia, de acordo com as declarações do prefeito, toda essa área seria coberta por enrocamento de pedra. “Finalmente estamos assistindo o início dessa obra e sempre que eu tiver uma oportunidade vou passar por aqui”, disse ele durante sua transmissão ao vivo no Facebook.

 

Nas palavras do próprio prefeito em vídeo, essa obra demoraria “apenas alguns meses”, porém no próximo dia 30 de outubro completará um ano e seus desmoronamentos mostram que é um problema ainda longe de ser resolvido, porém, que poderia ser remediado, caso todos os tramites para esse tipo de ação tivessem sido respeitados.

 

Atualmente essa região vem sofrendo com os abalos causados pelos desbarrancamentos e todo o espaço que em tese já deveria estar ao menos em parte aberto à comunidade permanece fechado. Não há previsão de abertura. 

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS